Categorias: INTERNET

Troféu Valkirias de Melhores do Ano: Internet

Em 2020, na abertura do Melhores do Ano: Internet, escrevemos: “vida social, entretenimento, trabalho e estudo passaram a depender da internet mais do que em qualquer outro momento da história”. Ainda em 2021, essa frase nunca fez tanto sentido. Continuamos dependendo da internet para absolutamente tudo, ainda mais em um ano em que a pandemia continuou esticando seus braços, chegando cada vez mais longe e decretando de vez que as coisas não voltariam a ser como antes tão cedo. Trabalhos continuam remotos, encontros e aulas pelo Meets ou o Zoom permanecem uma verdade difícil de mudar. E é também por meio da internet que nos distraímos, aprendemos coisas novas ou simplesmente acompanhamos uma mega produção do nosso grupo de k-pop favorito. Ah!, a internet. Tão difícil com ela, mas imagina sem?

After School Lessons for Unripe Apples (Webtoon)

Por Julie

Minhas expectativas estavam lá no alto quando o Webtoon anunciou que a Soonkki, autora de Cheese in the Trap, estaria lançando After School Lessons for Unripe Apples, seu mais novo trabalho. Com pouco mais de 20 capítulos, o webtoon já se tornou um dos meus queridinhos e é uma das minhas maiores alegrias dos fins de semana.

Ambientado na Coreia do Sul dos anos 1990, After School Lessons for Unripe Apples é centrado em Mi-ae, uma garota que adora a boyband The Fire Boys, ler quadrinhos de romance e observar aviões no céu. A rotina da adolescente muda quando Cheol, um garoto que ela conheceu na infância e é filho dos amigos de seus pais, se muda para o prédio ao lado. Quieto, alto demais para a idade e com uma cicatriz no rosto, ele ganha o apelido de Lúcifer quando se transfere para a escola em que Mi-ae estuda após se envolver em uma briga no colégio anterior. A fama, no entanto, não assusta Mi-ae como acontece com os outros colegas de classe — pelas outras interações que eles já tiveram, a garota sabe que ele não é como os rumores. Mas por que então ele evita qualquer esforço que ela faz para conhecê-lo melhor?

Nas obras da Soonkki, existe mais além das aparências. After School Lessons for Unripe Apples brinca com essa ideia com uma história cativante e personagens carismáticos, que me fazem lembrar das delícias e dores de ser adolescente. Soonkki sabe trabalhar o enredo com vivacidade e um ritmo empolgante, que instiga o leitor e consegue desenvolver a complexidade dos seus personagens. É um webtoon sobre como é crescer, mas em especial, sobre o impacto que as conexões com outras pessoas exercem em nossas vidas.

Arqueologia Pelo Mundo (YouTube)

Por Giovanna

O canal da Márcia Jamille foi uma descoberta incrível que fiz esse ano. Desde criança sou apaixonada e fascinada pelo Egito Antigo e encontrei o canal Arqueologia pelo Mundo quando houve um evento incrível envolvendo o transporte de algumas múmias, que ela acompanhou em detalhes. A Márcia é arqueóloga e fala sobre coisas incríveis no canal dela, especialmente hoje em dia, quando tanta desinformação está sendo divulgada pela internet.

Maratonei o canal dela e indico pra todo mundo que tem interesse por esse tema, porque ela apresenta um conteúdo muito bom e aprofundado por anos de estudo, mas de uma forma muito divertida e tranquila de entender. Vou indicar aqui especialmente os vídeos que ela fala sobre filmes e séries que envolvem arqueologia e história antiga, maravilhosos.

Conversation Time (Podcast e TikTok)

Por Thay

Se você está no TikTok, você já viu Hayley Morris. A comediante de 28 anos resolveu abrir uma conta na plataforma quando ficou entediada em casa durante o lockdown do início de 2020. Ao testar positivo para covid logo no começo da pandemia, Hayley precisou ficar afastada dos amigos e da família, e então pensamentos intrusivos apareciam a todo instante. Foi a partir desse momento que ela decidiu transformar tais pensamentos em vídeos para o TikTok sem imaginar que milhares de pessoas ao redor do mundo se identificariam com ela. E quando digo milhares, são 1,4 milhões de seguidores e mais de 25 milhões de likes em seu vídeo mais assistido. Se no início os vídeos mostravam as batalhas de Hayley contra seu ‘Cérebro’, aos poucos ela foi migrando para outras partes do corpo, mostrando, principalmente, momentos hilários relacionados à menstruação, cólicas e período fértil.

Hayley, que teve que deixar um trabalho que amava na Disney em Orlando devido à pandemia, hoje tem nos vídeos do TikTok e em seu podcast trabalhos de tempo integral. Ela cria todos os roteiros e interpreta todos os personagens de seu vídeo, que são curtinhos devido à disponibilidade da plataforma, mas que divertem intensamente. Você pode acompanhar seus vídeos no já citado TikTok ou no Instagram.

Empty Inside (Podcast)

Por Ana Azevedo

Empty Inside começou em 2020, mas os episódios gravados com imagens para o Youtube começaram em 2021 e é sobre eles que vamos conversar aqui. Se você é como eu e não tem ideia de quem é Jennette McCurdy, eu vou explicar: ela era a Sam Puckett, a menina loirinha de iCarly, da Nickelodeon (2007-2012). A série, que acabou de ganhar uma nova temporada em 2021, fez tanto sucesso que na época ganhou participações especiais de Michelle Obama, Jimmy Fallon, Tina Fey e muitos outros.

Pra mim, a história da Jennette McCurdy é muito similiar a da Britney Spears, a diferença é que Britney esperou anos para se livrar do pai controlador. A mãe da Jennette morreu quando ela tinha 21 anos. A partir daí, McCurdy conta que ficou livre. O podcast começou como uma forma da Jennette relatar sua jornada na recuperação de distúrbios alimentares, sua experiência traumática com Hollywood e seus problemas com a mãe. De primeira, nunca poderia imaginar que fosse me identificar tanto com esse podcast. Eu nunca fui fã de iCarly e não achava que uma mulher branca, americana, rica e famosa poderia ter algum tipo de problema parecido com o meu. De alguma maneira, Jennette e seus convidados conseguem colocar as cartas da mesa sem que tudo pareça terrível demais. Em meio a pandemias e notícias terríveis, esse foi o primeiro conteúdo sobre coisas sérias que eu consegui consumir.

No Empty Inside de 2021, Jennette abre espaço para outras pessoas e outros tópicos. São conversas duras e reais sobre temas como saúde mental, dinheiro e codependência. Às vezes, tudo que a gente precisa é de pessoas tendo conversas reais.

Modus Operandi (Podcast)

Por Thay

Mais um Troféu Valkirias de Melhores do Ano, mais uma indicação para o Modus Operandi, podcast de true crime (crimes reais) de Carol Moreira Mabê Bonafé. Se em 2020 descobri um vício, em 2021 só o cultivei ao ficar horas ouvindo sobre os crimes mais estranhos e tensos de que se tem notícia. Fico bem contente de saber que um podcast que acompanhei desde o comecinho só cresceu esse ano, fazendo com que Mabê e Carol alçassem voos mais longos, indo parar, inclusive, na Globoplay e na Netflix.

Com o Além do Crime, apresentado pela dupla no canal no YouTube da Netflix, descobrimos o que ocorre após os crimes que viraram séries pelo streaming. Logo no primeiro episódio, Carol e Mabê contam o que aconteceu com Luka Magnotta do documentário, e episódio do Modus Operandi, “Don’t f**k With Cats” — o homem recebeu condenação de prisão perpétua por maltrato a animais, uma vitória para o grupinho do bem. Além dos vídeos para a Netflix, Mabê e Carol também preparam a publicação de um guia definitivo sobre crimes reais pela Editora Intrínseca. É crime real que não acaba mais — e bom pra gente, fãs de carteirinha dessas duas.

Para saber mais: My Favorite Murder: por que mulheres são atraídas por true crime?

Não Inviabilize (Podcast)

Por Iara

Se 2020 já nos deixou assustadas com o isolamento, o início de 2021 agravou consideravelmente essa situação. Enquanto parecia que eu nunca mais conversaria ao vivo com desconhecidos, a saudade de ouvir uns bons casos foi uma companheira. Encontrei um apaziguador nas improváveis histórias que a Déia Freitas recebe e conta aos ouvintes. O podcast, que teve início em 2020, é dividido entre os quadros “Picolé de Limão”, “Amor nas Redes”, “Mico Meu” e “Luz Acesa”.

De histórias de amor bem sucedidas a casos de golpes em família, a produção entrega entretenimento puro em poucos minutos. Para as mais engajadas, existe um grupo no Telegram onde é possível aconselhar as personagens das histórias em áudio ou mensagem. Além de divertir, o que o Não Inviabilize faz é um trabalho educativo: a gente aprende muito com o erro alheio.

Nossa Cozinha (YouTube)

Por Thay

Não sei explicar o motivo, mas eu sempre adorei assistir vídeos de pessoas cozinhando. De uma maneira estranha, fico mais calma e tranquila enquanto assisto alguém cortar cebolas e preparar um prato caprichado. Colocar a mão na massa, com o perdão do trocadilho, no entanto, não era algo que eu costumava fazer. Pelo menos até o canal da chef Paola Carosella acontecer na minha vida. Eu já adorava acompanhá-la como jurada do Master Chef Brasil, então é claro que quando o YouTube me recomendou seu canal, fui correndo dar minhas visualizações e cliques. Para além de Paola Carosella em si, que é uma pessoa cativante, o conteúdo do Nossa Cozinha — o nome do seu canal — é repleto de receitas, das mais práticas às mais inspiradoras.

Entre os vídeos há um sobre como cortar cebolas (para pessoas como eu, é um vídeo essencial, acredite), molho de tomate da Paola (ai, a fome que dá só de lembrar) e rabanada (perfeito para as festas de final de ano). E, o melhor, tudo explicado e feito pela própria Paola, que desmistifica a cozinha de uma chef  e mostra como os preparos e as comidas podem ser tão simples quanto saborosos. Muitas das receitas são feitas com ingredientes simples e caseiras, de pratos que Paola costuma fazer em casa, o que mostra que a cozinha não precisa de muito para ser cinco estrelas.

Para saber mais: Cozinhar nos tempos de pandemia e o que podemos aprender com chefs profissionais

Noveletter (Newsletter)

Por Paloma

Conhece o gênero literário romantasia? Como explicado no manifesto da própria Noveletter, “histórias híbridas de romance e fantasia, em que ambas as partes são vitais para o desenvolvimento do enredo e dos personagens”. É isso o que a Noveletter oferece: histórias de amor romântico com elementos fantásticos semanalmente no conforto de sua caixa de entrada. Melhor que isso: histórias seriadas para quem gosta de sofrer de amor, que nos alimentam ao mesmo tempo que nos deixam sempre querendo mais.

A Noveletter nasceu no começo de 2021 pelas mãos de Bárbara Morais, Marina Orli e Val Alves, e está em sua terceira trama. Primeiro, acompanhamos As incertezas da Fortuna, escrita por Marina Orli (ex Oliveira) — uma história de magia, intrigas e conspirações —, depois passamos rápido demais por Tratados sobre tempestades e outros fenômenos extraordinários (saudades), de Isabelle Morais (pseudônimo de Bárbara para assuntos relacionados à literatura fantástica para adultos) — em que sofremos com a tensão sexual entre Morena, Ivan e Aleksey, três melhores amigos e alquimistas em formação —, e atualmente estamos acompanhando Coração Mal-Assombrado, de Gih Alves — que acompanha Manu e Isadora, duas ex-amigas estudantes de um Instituto pra lá de mal assombrado e com muitos sentimentos mal resolvidos.

Todo o trabalho é financiado coletivamente, e os apoiadores recebem os novos capítulos com uma semana de antecedência. Os capítulos e histórias anteriores também são disponibilizados no Wattpad e no Tapas para quem quiser recuperar o tempo perdido e começar a acompanhar agora. Para quem escreve, fica também o anúncio: em breve a Noveletter estará com seleção aberta para novas histórias.

The Show: BLACKPINK (YouTube)

Por Isabela

No dia 31 de janeiro, o BLACKPINK fez seu primeiro concerto global on-line. O THE SHOW foi a maneira que o grupo encontrou para se conectar aos fãs e continuar os trabalhos de divulgação do primeiro full album, o THE ALBUM, em meio à pandemia. Apesar da costumeira falta de criatividade ao nomear os projetos, a YG Entertainment não decepcionou na produção e investiu pesado nos cenários, na qualidade do áudio, na banda ao vivo, nas coreografias e nos figurinos de grife.

Como de costume, as integrantes estavam perfeitamente ensaiadas e sincronizadas, exibindo músicas já adoradas pelo público e as nunca antes performadas. Dentre os momentos mais marcantes do show, as apresentações individuais de cada uma se destacam justamente por mostrarem algo diferente aos fãs. Jennie trouxe uma roupagem nova para “Solo”, sua música solo lançada em 2018, com novos versos de rap. Jisoo fez o cover de “Habits (Stay High)”, de Tove Lo, com letras em coreano. Lisa também adicionou o próprio twist à “Say So”, de Doja Cat — e, em sua posição de main dancer do grupo, deu atenção especial ao número de dança. Rosé apresentou seu tão esperado projeto solo com a b-side “Gone”, mantendo a simplicidade ao usar apenas a voz e os acordes de guitarra. O mais bacana é saber que as quatro agiram como compositoras em suas respectivas apresentações, tanto nas canções autorais quanto nos covers.

A nova coreografia de “Ddu-Du Ddu-Du” — com dezenas de dançarinos descamisados, chão coberto por água e efeitos com fogo —, a apresentação da amada e injustiçada “Sour Candy”, música de Lady Gaga com o BLACKPINK, e o encore espontâneo e sentimental de “Forever Young”, no qual as meninas viram mensagens de fãs e correram divertidamente pelo palco, também merecem atenção.

Com divulgação internacional pesada, a performance de “Pretty Savage” foi exibida exclusivamente no talk show norte-americano The Late Late Show with James Corden como um gostinho do que estaria por vir. Assim, o THE SHOW foi assistido ao vivo por mais de 300 mil pessoas em todo o mundo e rendeu o álbum BLACKPINK 2021 ‘THE SHOW’ LIVE.

Para saber mais: BLACKPINK: Light Up the Sky; Fama e coração partido no debut solo de Rosé, do BLACKPINK.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *