Categorias: VALKIRIAS

Guia de fim de ano para presentear sua Valkiria favorita (ou aumentar sua própria lista de desejos)

Depois de todas as retrospectivas de fim de ano, é seguro dizer que 2018 não foi fácil para ninguém. Mesmo quem teve a chance de viver um bom ano pessoal apesar da conjuntura política assustadora há de concordar que foi um ano intenso, para o bem e para o mal. Sabemos que não é um #mimo que vai resolver nossos problemas ou trazer a felicidade, mas agora que estamos às portas do recesso, de um merecido descanso, de promessas de mesa farta ou até um Natal solitário – mas pacífico e autêntico – para as desertoras do grupo da família, vamos deixar de lado nossas convicções filosóficas e dizer ok para o capitalismo. Seguindo a tradição iniciada ano passado, reunimos algumas Valkirias para compartilhar alguns itens de suas listas de desejos para o ano que vem. Autocuidado não deve estar associado ao consumo, sabemos disso, mas a vida fica mais fácil quando se tem um bom livro, creminhos para o rosto, um quarto bonito ou até uma marmitinha com mensagem revolucionária. Por trás de todos esses desejos, na verdade, está um só: se amar, se cuidar e se preparar pro que vem por aí e é isso, acima de todas as coisas, que desejamos a todes que nos leem nesse fim de ano!

Por Ana Vieira, editora

2018 foi um ano difícil, longo e cansativo e por uma boa parte dele eu senti que não (!) ia (!) rolar (!). Por sorte, as coisas se acalmaram, começaram a voltar pros eixos e eu voltei a ser mais minha do que há muito não era. Nessa jornada de amor próprio, crescimento e boas vibes, meus desejados desse ano conversam muito com a ideia de autocuidado. É por isso que meu primeiro item da lista de desejados é o Foreo Luna Mini, pra dar uma auxiliada muito chique na rotina de skincare e, pra ficar mais chique ainda, não me importaria de ganhar um Triacnéal Expert da Avène também. Além disso, o ano que está por vir será o ano que aprenderei a lidar de forma adulta e responsável com dinheiro e com o problema de compras impulsivas, e pra incrementar o aprendizado, estou de olho nos livros Detox das Compras e Ganhar, Gastar, Investir: O Livro do Dinheiro Para Mulheres. Também ando querendo deixar o meu quartinho mais aconchegante e pessoal e por isso há muito estou de olho em um memory board branco. Esse chocker bonitinho de estrelinhas&luas está na mira faz meses. Já que o primeiro me foi levado, gostaria muito de repôr o Waltinho – o nome que dei pro meu Kindle Paperwhite Branco.

Por Anna Vitória, editora

Embora não tenha sido um ano fácil para o Brasil ou para o mundo, 2018 foi muito generoso comigo e saio dele como uma versão mais feliz e mais forte de mim. Quero mais de tudo isso que foi bom ano que vem, e com o mundo pegando fogo lá fora sei que preciso me preparar, o que deve começar por uma nova mala de rodinhas para substituir a minha que estragou de vez. Uma mala compacta para o compartimento de bagagem dos aviões e leve para ser levada em rodoviárias e arrastada por muitas cidades num ano que promete muitas viagens, graças a Deux. Em 2018 também descobri um interesse inesperado por mixologia, e decidi que quero ter meu próprio bar em casa, como se fosse uma personagem de Mad Men. A gente sabe que a vida adulta chegou de vez quando passamos a valorizar bebida boa, então uma garrafa de Tanqueray (ou Hendricks, caso o Papai Noel esteja generoso) para mais almoços longos regados a gim tônica seria um sonho de princesa e um bom pontapé inicial para ambição que deve demorar uns anos para se concretizar por completo. Também é na idade adulta que valorizamos presentes antes desprezados como meias, que têm se tornado um dos meus acessórios favoritos. As de lurex coloridas da Surreal São Paulo são as minhas favoritas! Pra fechar o combo de adultona, ano que vem faço 25 anos, um quarto de século, o que significa que minha produção de colágeno começará a diminuir (!!!) e começarei, oficialmente, a envelhecer. Venho de uma família de mulheres longevas e não pretendo deixar esse mundo tão cedo, então cuidar da pele é essencial. Os produtos da linha Drops of Youth da The Body Shop são uma crush eterna e nos meus frequentes passeios à farmácia tenho namorado o Vichy 89.

Gosto de começar o ano lendo biografias inspiradoras e meu livro mais desejado do momento é Let’s Go (So We Can Get Back), autobiografia do Jeff Tweedy, vocalista do Wilco, minha banda preferida. Além de ser um dos artistas que mais admiro, Jeffinho tem o dom de falar das coisas mais duras, tristes e difíceis com uma delicadeza toda sua e um senso inabalável de esperança, e é isso que quero carregar comigo nesse ano que se inicia.

Por Debora, colaboradora

2018 foi um ano cheio de surpresas, reviravoltas, realizações, perdas e aceitação. Poderia até estar descrevendo a sitcom (ou melhor, o drama) que o Brasil se tornou, mas minha vida durante esse ano também foi uma montanha-russa de emoções e acontecimentos. Deixei algumas coisas para trás, ganhei outras e realizei um dos maiores sonhos da minha vida. Por isso, em 2019 espero manter o ritmo acelerado das coisas, continuar crescendo e buscando cada vez mais me tornar quem eu sou e aquilo que preenche meus anseios. Para isso é preciso, claro, um bom livro de companhia. Estou a tempos aguardando o lançamento de 99 Percent Mine, segundo livro da Sally Thorne, autora de O Jogo do Amor/Ódio!, então espero adquiri-lo assim que estiver disponível. Também quero tentar manter vivo meu amor pela fotografia e me aperfeiçoar na área, então vou contar as moedas e tentar comprar uma câmera profissional. Estou de olho na Nikon D3400 que não é a melhor câmera do mundo, mas tem um bom custo-benefício. Por fim, um presente/desejo mais simbólico do que concreto. Uma passagem para Nova York. Em 2018 reafirmei algo que já desconfiava: viajar me faz sentir viva, então pretendo ao menos ter uma meta para a próxima viagem, a fim de não perder de vista o objetivo de conhecer o máximo de lugares possível.

Por Jé Mazzola, colaboradora

Nesse ano que se inicia, coloquei como meta de amar mais e mais. Por isso, já quero começar janeiro com fones de ouvido sem fio novos pra poder fazer as tão esperadas caminhadas na beira da praia. Na hora do descanso, quero muito começar a ler Mapa dos Dias, o quarto volume da série da O Lar da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares enquanto como alguns bolinhos que eu farei com esse novo avental da Pusheen. Acho que esse será mais um super ano, não acham?

Por Júlia Medina, colaboradora

Em 2019 vou começar um podcast sobre literatura (hummm… se preparem!), então estou aproveitando esse final de ano para pesquisar microfones bons e não muito caros. Encontrei esse da Samson que, além de ser bem bonitinho (é importante, não me julguem), é pequeno e parece ser bem prático. Ainda no assunto do meu novo podcast (!), esse ano um dos meus livros favoritos foi O Pintassilgo, da Donna Tartt; eu amei tanto que quero ler outros dela, como o A História Secreta, que todo mundo que leu fala super bem. Outro livro que namoro faz tempo e 2019 parece ser o momento para eu ler é Doutor Fausto, do Thomas Mann, um dos meus autores favoritos. Já da literatura para produtos cosméticos, 2018 foi o ano que todo mundo amou cuidar da pele, e como eu não estou fora dessa, passei o ano desejando a linha Tea Tree da The Body Shop. Que 2019 me permita realizar o sonho da pele perfeita, amém.

Por Karina, colaboradora

Esse ano não foi fácil e confesso que, pelo acompanhar da situação vigente, o sentimento de esperança para 2019 anda difícil de chegar. Por isso, toda a minha lista de desejos é baseada em coisinhas que vão ser um afago para mim mesma em um ano que certamente vai exigir muito de todas nós. Em 2018 passei muito tempo com saudades de amigos que moram longe, tanto com uma sensação geral de saudade quanto pensando em como a companhia deles seria perfeita para momentos específicos. Então, em 2019, espero poder visitar mais esses amigos, aproveitando fins de semana gostosinhos com uma malinha bem prática de carregar pelas rodoviárias dessa vida. Um dos programas que espero ser capaz de realizar com amigas distante é cantar alto no show de The Maine, banda que vem ao Brasil em junho e esteve sempre de mãos dadas com a história da nossa amizade. Já pensando em parar em casa, 2019 deve ser o momento de organizar algumas bagunças que estão pendentes desde a mudança para o apartamento atual e já ando a namorar móveis para finalmente ter um quarto arrumadinho. Por fim, livros sempre estão na minha lista de desejos, e dois dos que já estão na minha mira são o A Um Passo, para continuar alimentando meu vício em Elvira Vigna, e o Namorada Podre de Rica, para continuar lendo a série de Kevin Kwan.

Por Laura Lima, colaboradora

2018 foi um ano maravilhoso: defendi um mestrado, fui pra praia (duas vezes!), chorei muito, ri muito, me afastei de algumas amizades mas ganhei e fortaleci outras, li bastante, assisti menos séries do que gostaria, sofri com a vida de freelancer mas tive oportunidades incríveis que me fizeram crescer. No balanço geral, fico sempre com o copo meio cheio! E ganhar presentes (meu aniversário está logo ali em fevereiro) seria a cereja do bolo: qualquer livro do catálogo primoroso da Todavida, especialmente Afiadas, de Michelle Dean, e a mistura de graphic novel e autobiografia Fun Home da Alison Bechdel. 2018 também foi o ano de comprar uma vitrola e ouvir os discos herdados do meu pai. Quero formar minha própria coleção e o vinil duplo de Nasce Uma Estrela está na lista de desejos. Por fim, 2018 foi um ano de cuidar de mim (física, mental e espiritualmente) e um elemento importante foram as rotinas de beleza (obrigada, Bonita de Pele!) que sempre fiz mas andava meio desanimada e as tentativas de meditação. Dois itens desejo-mas-muito-caro para esses momentos: Foreo e um difusor de ambientes.

Por Thay, editora

Chegar ao final de 2018 é praticamente uma vitória. Um ano que começou com um mês de janeiro repleto de promessas e expectativas terminou em dezembro com esgotamento, cansaço e pitadas de tristeza. Não foi fácil lidar com tantos altos e baixos, uma montanha-russa de sentimentos bizarros que deixa nossa saúde física e mental em frangalhos, mas como resistência é palavra feminina, assim continuamos – e para continuar firmes e na luta, precisamos nos cuidar. Pensando nisso, e sendo a pessoa que mais bebe água nessa vida, nada melhor para manter o hábito do que uma garrafinha Star Wars, afinal que “a força esteja com você” é um ótimo lema pro ano que vai chegar. E nessa linha de se fortalecer para lutar, comer bem entra no esquema, então marmitinhas estão na pauta e um conjunto ‘faça a revolução’ vem bem a calhar. Para retomar os treinos de boxe, uma corda rosa e resistente. Para fortalecer também a mente, o livro Eu Sei Por Que o Pássaro Canta na Gaiola, de Maya Angelou – esse ano li, pela primeira vez, um livro da autora e ela me cativou para o resto da vida. Se em A Vida Não Me Assusta, parceria de Maya com Jean-Michel Basquiat, encontrei um livro precioso para crianças e adultos, em Eu Sei Por Que o Pássaro Canta na Gaiola sairei emocionada, abalada pela trajetória dolorosa da vida de Maya, mas também fortalecida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 comentário

  1. Obrigada a todas as Valkirias por aumentarem minha própria wishlist, me darem ideias de presente (levando um produtinho da linha da the body shop indicado pela Jumed pra minha mãe haha) e obrigada Karina por falar de The Maine!!!! a propósito, o ingresso pro show deles foi o presente que dei pra mim mesma. Aaah, e não poderia deixar de aproveitar o comentário para desejar a todas vocês um Natal lindo e já tô mandando muita energia boa pra 2019 também. O Valkirias me ensinou e me confortou muito em 2018 e torço sempre por vocês! Que no próximo ano vocês tenham ainda mais sucesso, mais conquistas e mais conteúdos incríveis! Beijinhos