Categorias: MÚSICA

Tini Tini Tini: as várias versões que somos a todo momento

Nove anos após a estreia de Violetta no Disney Channel, Tini, intérprete da protagonista doce, sonhadora e talentosa, lançou seu segundo álbum totalmente desvinculado da história. Como Violetta, Tini (ou Martina Stoessel, seu nome artístico na época) lançou cinco álbuns ligados à série latino-americana e um relacionado ao filme Tini: Depois de Violetta. Como o enredo da sua personagem no longa, esse também era seu momento de se desvincular da personagem que iniciou sua carreira e que viveu por quatro anos. De lá para cá, Tini lançou o álbum Quiero Volvier em 2018 e várias músicas sortidas. Neste ano, o álbum Tini Tini Tini representa a evolução artística e pessoal da cantora, ao apresentar as diferentes versões de si mesma em 14 músicas que saltam do pop romântico para o reggaeton.

Como todas as artistas ex-Disney, Tini carrega o peso de ter estreado na empresa do Mickey e de constantemente ser comparada a personagem que viveu. Além disso, por ser latina, precisa lutar mais para adentrar os mercados internacionais. Ao contrário do álbum Quiero Volvier, no qual uma parte das músicas eram cantadas em inglês, e de Tini, em que todas as músicas estavam disponíveis tanto em espanhol como em inglês, todas as canções de Tini Tini Tini são no idioma nativo da cantora. Quando o álbum foi lançado em dezembro de 2020, a artista escreveu em seu Instagram que seu objetivo era “transmitir uma mensagem de liberdade sem estereótipos” e por isso utilizou diferentes gêneros musicais e identidades estéticas. Na mesma postagem de lançamento, Tini, que participou da composição de todas as músicas, falou que sentiu “liberdade de expressar o que queria em cada canção”. Para quem acompanha a cantora desde sua estreia como Violetta, Tini Tini Tini é a oportunidade de entrar em uma jornada de descobrimento, crescimento e liberdade.

O álbum inicia com “Un Beso en Madrid“, parceria com o cantor espanhol e ídolo de Tini, Alejandro Sanz. A faixa é uma balada romântica que conta a história de um casal que passou por um término difícil. Mas para além disso, ao longo da letra emotiva e ritmo que mantém o ouvinte interessado pela trama, a música representa a evolução vocal e artística da cantora, ao entregar a canção mais madura de sua carreira. Mas engana-se quem ouve e pensa que todo o álbum seguirá o mesmo estilo. Já a próxima faixa, “Fresa“, parceria com Lalo Ebratt, nos presenteia com o ritmo viciante do reggaeton e uma letra que gruda na cabeça. Essa dualidade de estilos descreve muito do que encontramos nas faixas seguintes do álbum, que entrega ao ouvinte uma mistura de canções simples e sentimentais com pop dançantes e letras mais superficiais.

Em “Si Tu Supieras“, Tini declara o seu amor recém nascido. A música representa muito do que é comum sentir no início de um romance: a necessidade de estar junto em 100% do tempo e se doar para que a outra pessoa seja feliz. Uma verdadeira fantasia, como a própria música descreve: “La magia que hay entre nosotros/ Vivimos una fantasía/ Yo sé que aunque he estado con otros/ Hoy siento cosas que no sentía” (“A magia que existe entre nós/ Vivemos uma fantasia/ Eu sei que embora eu tenha estado com outros/ Hoje eu sinto coisas que não sentia”, em tradução livre). Na faixa seguinte, “Tuyo“, Tini ainda está na melhor fase de sua relação, curtindo todos os momentos junto de seu amado, principalmente os mais íntimos. Assim como em “Si Tu Supieras“, é possível perceber uma supervalorização  do romance em relação a sua felicidade.

tini tini tini

Mas ao contrário do que séries e filmes da Disney nos levam a acreditar, nem toda relação tem um final feliz. Em “Te Olvidaré“, a música mais sentimental de todo o álbum, Tini abre o coração e manda um recado para um antigo amor. Para aqueles que acompanham sua carreira e vida pessoal de perto, é impossível não relacionar a letra com o término da artista com o também cantor Sebastian Yatra. Ao estilo de outras cantoras e compositoras como Taylor Swift e Lorde, Tini mostra toda sua vulnerabilidade e dor em uma canção simples, delicada e intimista: “Sé que por un tiempo voy a navegar sin rumbo/ Y aunque sea profundo el mar, yo ya te soltaré/ Puede que la soledad en realidad no deje de doler/ Pero duelen más mis pies por hacia a ti correr” [“Sei que vou navegar sem rumo por um tempo/ E embora o mar seja imenso, logo vou te soltar/ Talvez a solidão, na verdade, nunca pare de doer/ Mas os meus pés doem mais, por correr atrás de você”].

Na faixa seguinte, Tini continua seu desabafo. Em “Acércate“, a cantora pede para que o antigo amor se aproxime e lhe dê mais uma chance, ao mesmo tempo que desabafa sobre estar cansada de correr atrás de alguém que a afasta. A música apresenta uma gama de sentimentos provocados por um término de relacionamento: saudade, culpa, raiva, confusão e o desejo de seguir em frente. Ao contrário das canções românticas de outros álbuns, seja no original ou nos lançados como Violetta, que mostravam uma versão idealizada do amor romântico, Tini Tini Tini é possível perceber a maturidade dos relacionamentos e sentimentos de Tini, que sabe que nem todas as histórias terão um final feliz.

O bloco seguinte é composto por um pop dançante e letras mais superficiais. “Playa” retoma o ritmo reggaeton para o álbum, no qual Tini conta a história de um casal que vive entre discussões e beijos. “Ella Dice“, parceria com o cantor Khea, faz referências a várias outras canções do álbum, como “Fresa” e “22“, e também segue a história de um relacionamento tumultuado. Já em “Duelle“, ainda em um ritmo dançante, Tini e John C. cantam sobre as dores de amar mais do ser amada de volta em uma relação. “Recuerdo“, canção em parceria com Mau Y Ricky, descreve um amor de uma noite e a vontade de retomar esses sentimentos. A canção seguinte, “Oyé“, é uma parceria com seu ex-namorado Sebastian Yatra. Os dois ainda estavam juntos quando a música foi lançada em outubro de 2019, como uma continuação do clipe da canção “Cristina“, cantada pelo autor e que Tini participa do clipe. A música acompanha o desabafo de um casal que após viver um grande amor, é separado pela vida. Além da química presente na canção, a música se torna ainda mais significativa pelo término real do casal cerca de seis meses após o lançamento.

A próxima faixa também é um retrato dos sentimentos de Tini. “Diciembre” descreve um coração partido que tenta seguir em frente, apesar de não ter decidido que essa é a decisão que precisa tomar. Como em faixas anteriores, com um ritmo mais lento, Tini demonstra toda sua vulnerabilidade e junto com “Te Olvidaré“, é uma das canções mais profundas de todo o álbum. As duas últimas faixas do álbum retomam o pop dançante. Em “Suéltate o Pelo“, o foco também é um amor jovem, movido por um ritmo frenético. Já “22“, parceria com a cantora colombiana Greeicy, é uma das poucas músicas dançantes do álbum que também possui uma letra complexa. A canção retrata o sentimento de quando finalmente a pessoa se sente livre após o término de um mau relacionamento. Em um álbum que grande parte das canções falam sobre amor, finalizar com “22” serve como um lembrete para o amor próprio. Tini ainda é jovem, não tem medo de se entregar totalmente a um amor, mas sabe que parte da vida também é dançar sozinha com toda a energia que tem em seu corpo.

Quando Tini Tini Tini finalmente foi lançado, o público já conhecia boa parte das trilhas que haviam sido divulgadas ao longo dos últimos anos, desde o lançamento de “22” em abril de 2019. Mesmo assim, ouvir o conjunto completo ressignifica várias das canções. Contudo, a ordem pela qual as músicas foram expostas tira um pouco da experiência de conhecer a jornada de Tini. As faixas pulam de uma letra sentimental de dor, para um pop dançante, que logo depois retorna para um desabafo. Por isso, a maior perda de Tini Tini Tini é a falta de um storytelling na construção do álbum que torne a experiência mais agradável e profunda para o ouvinte. O melhor conjunto da obra fica a cargo das canções “Si Tu Supieras” e “Acércate“, que representam as etapas de um romance. Em contraste, a coragem de Tini de apresentar diferentes versões de si mesma em uma mistura que faz parte da complexidade da vida. Ela abre o coração em letras sentimentais, ao mesmo tempo que só quer dançar sem se importar com o amanhã, uma mistura de sentimentos diários que todo jovem consegue reconhecer. Tini Tini Tini é uma representação do que a vida deveria ser: sentir e viver sem medo e sempre estar dispostos a conhecer as novas versões de nós mesmos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *