Categorias: COLABORAÇÃO, TV

Rory Gilmore: quando a princesa acaba sem um príncipe

Independentemente de que momento da vida esteja, se você já assistiu Gilmore Girls, com certeza convive com um questionamento constante: quem foi o melhor namorado de Rory (Alexis Bledel)? Enquanto alguns defendem Jess (Milo Ventimiglia) com unhas e dentes, outros têm um carinho enorme por Dean (Jared Padalecki), e existem até os que abraçam e defendem Logan (Matt Czuchry) das críticas alheias. O fato é que, por mais amados que os três coadjuvantes sejam, nenhum deles deu certo o suficiente com a protagonista para continuarem com ela até o final da trama. Mas isso quer mesmo dizer que ela teve uma vida amorosa fracassada?

Esse assunto ganhou tanta repercussão entre os fãs da série, que acabamos esquecendo que Rory é uma protagonista, com ou sem um par romântico. Embora Dean, Jess e Logan sejam personagens fundamentais para o enredo do seriado (principalmente para o arco de Rory), foram as ações e decisões da garota que influenciaram todas as conquistas e perdas da personagem durante as sete temporadas — e o revival de 2016. Ao resumi-la apenas aos seus relacionamentos, teoricamente fracassados, acabamos diminuindo toda a construção da personagem, consequentemente menosprezando sua trajetória pessoal. Rory Gilmore não é perfeita como todos que viviam em Stars Hollow acreditavam que ela fosse, está muito longe disso. Apesar dos esforços de Lorelai (Lauren Graham) em mantê-la longe do ambiente frio e elitista da alta sociedade, o potencial que vê na filha praticamente a obriga a pedir a ajuda dos pais para colocá-la na melhor escola, pois assim ela teria a chance de entrar na melhor faculdade e ser uma adulta bem sucedida.

rory

Acontece que estar em contato com os ares aristocratas dos avós e seus círculos de convivência fizeram Rory jogar no lixo certos conceitos ensinados por sua mãe. A jovem protagonista cresceu ouvindo de todos os que a conheciam que poderia ser o que quisesse e fazer o que quisesse por ter uma inteligência admirável. Na adolescência, sentiu que o dinheiro dos avós poderia lhe dar de tudo sem que fizesse muitos esforços além de ter boas notas (o que era comum se tratando de Rory), e isso fez com que seu ego crescesse. Mas isso não é necessariamente ruim, porque por mais que seus namorados lhe oferecessem o que podiam, ela queria mais, pois entendeu que podia ter mais.

Podemos especificar um ponto na série onde as coisas realmente começam a dar errado para Rory: quando suas capacidades são questionadas pela primeira vez por alguém. O momento em que Mitchum (Gregg Henry), ironicamente seu sogro, pai de Logan e dono do jornal onde ela trabalhava, diz que ela não era boa o suficiente para o jornalismo. É um baque gigante para uma garota que cresceu ouvindo que era boa em tudo. A partir dali, ela entra em uma crise existencial e decide trancar a faculdade, ignorando os protestos da mãe e vivendo às custas dos avós por um ano, até se cansar da autoridade da avó e ir morar com o namorado.

Note que, para resumir todas essas decisões de Rory, não precisei envolver Logan diretamente. Ela sempre soube tomar decisões sozinha, por mais que nem sempre tomasse as decisões certas. Prova disso foi a recusa de um pedido de casamento de Logan em público (atitude um tanto egoísta da parte dele, que, mesmo sem querer, tirou todo o brilho de uma noite importante para ela), pois sabia que uma atitude precipitada poderia arruinar sua vida profissional. Rory continuou traçando sua própria história, mas com uma mentalidade diferente da que tinha antes de conhecer o mundo de que Lorelai a havia afastado desde pequena. Portanto, se há influência das ações de alguém nas decisões da garota, são as de sua mãe, não de seus namorados. Ao forçar o afastamento da filha (mesmo que com uma boa intenção) do mundo em que foi criada, a imersão repentina da garota na alta sociedade mudou a mentalidade impecavelmente moldada durante 16 anos.

Precisamos lembrar que, apesar dos clichês, Rory Gilmore representava um ser humano comum, e seres humanos cometem erros, se equivocam e eventualmente se entregam a relacionamentos sem saber exatamente o que querem com aquilo. Indo mais além, ela se jogou em namoros sem se conhecer direito, e exatamente por isso as coisas acabaram fugindo do controle. Em todos os relacionamentos faltou, além do autoconhecimento, o respeito dos limites de cada um, e isso não é mérito só dela, pois um relacionamento não se constrói com atitudes de apenas uma pessoa.

No final das contas, não faz sentido pensar no que poderia ter sido ou considerar qualquer um dos envolvimentos amorosos da protagonista como sua alma gêmea, muito menos afirmar que ela viveu um conto de fadas fracassado. Para entendermos isso de fato, é importante pensarmos que a única pessoa perfeita para Rory Gilmore é a própria Rory Gilmore.

Bianca Smiderle Lemos é jornalista em formação, apaixonada por cultura pop e viciada em dar pitaco em tudo desde criança. Aquela totalmente de humanas que pode dar uma palestra sobre qualquer assunto, mas se assusta com um cálculo simples de matemática básica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *