Categorias: LITERATURA

As mulheres descolonizadas em Niketche: uma história de poligamia

Niketche

Há um amplo sentido muito forte na literatura escrita por mulheres que nasceram em nações que foram colonizadas. Tal como seu país, a sua liberdade se faz em uma luta constante, e é neste cenário que se passa a história de Niketche: Uma História de Poligamia, escrito por Paulina Chiziane, uma das primeiras escritoras oriundas […]

Continue lendo

Categorias: CINEMA

Não quero acreditar: a sátira do negacionismo em Não Olhe Para Cima

As sátiras, críticas que exploram com tom de humor e sarcasmo questões sociais, políticas e culturais, são comuns há séculos, principalmente quando mobilizações mais radicais eram (e são) freadas. E em uma situação extremamente absurda, como a realidade de crise e negacionismo que estamos vivendo, o exagero, criado pelo absurdo ridicularizado, parece ser a forma […]

Continue lendo

Categorias: LITERATURA

Metamorfoses de uma Mulher com Brânquias, de Patrícia Baikal

“Às vezes era sombria como um navio esquecido em águas profundas e, às vezes, iluminada, como areia de praia limpa”. Assim Rita é descrita pelo seu próprio monstro, que irá acompanhá-la pelas breves, porém misteriosas páginas de Mulher com Brânquias, suspense que sempre guarda uma surpresa quando o leitor pensa que começou a descamá-lo. Uma […]

Continue lendo

Categorias: LITERATURA

O simbolismo da cor em O Papel de Parede Amarelo, de Charlotte Gilman

A cor amarela é carregada de ambiguidades. Enquanto pode representar otimismo e luz, tal como um dia ensolarado, também pode, em certas combinações, representar sentimentos negativos, como o medo, a insegurança, e até mesmo a traição (como infelizmente sentimos ao vê-lo, hoje em dia, ao lado do verde). Em setembro, observamos a cor brotar em […]

Continue lendo

Categorias: LITERATURA

Eu, Cassandra Rios, sou uma lésbica: a escritora mais censurada da ditadura militar

A primeira vez que eu ouvi o nome de Cassandra Rios foi durante a faculdade de Letras. Não por professores, mas por uma colega de classe que apontou a relevância das escritoras lésbicas brasileiras — e suas ausências no estudo (e ensino) de literatura nacional. Naquela época eu já sabia que ao se trabalhar com […]

Continue lendo