Categorias: LITERATURA, MÚSICA

Apoie mulheres!: 10 projetos de financiamento coletivo para conhecer

Ter um livro publicado ou um cd lançado não é tarefa fácil no Brasil, por isso plataformas como o Catarse, o Padrin e o Apoia.se aparecem como ferramentas que atuam como ponte entre os artistas e seu público. Com contribuições pontuais ou contínuas, é possível ajudar a financiar os mais diferentes projetos, de livros de colorir a álbuns de música brasileira, de artbooks temáticos a histórias em quadrinho. A ideia dessa lista de indicações surgiu da vontade de ajudar artistas a encontrar seu público, e vice-versa. Os dez projetos a seguir são feitos por mulheres de diferentes estilos, vivências e experiências e com certeza vão encantar você.

In the Dark

In the Dark é o artbook da Mayara Barros, um projeto que contem 31 desenhos e 31 minicontos temáticos de Halloween. A ideia da publicação nasceu do Inktober, um desafio para artistas que rola na internet e que tem como objetivo fazer um desenho por dia durante o mês de Outubro usando técnicas tradicionais como tinta, lápis e aquarela. Mayara decidiu, então, reunir o Inktober ao Drawlloween – desafio artístico com temática do Dia das Bruxas – e reuniu seus desenhos à pequenas histórias. Durante os 31 dias em que durou o desafio, a artista publicou os desenhos e suas histórias online e agora chega na reta final para realizar o sonho de publicar o projeto também em livro físico. O artbook In the Dark será bilíngue, português-inglês, e terá 76 páginas com os 31 desenhos e minicontos.

Formada em Jornalismo e mestranda em Comunicação, Mayara teve seu primeiro livro de contos, Caleidoscópio, publicado pela Editora Illuminare e participou das antologias Contos de Fada, Anjos e Demônios da mesma editora, e da antologia Valquírias, da Darda Editora. Ainda que ilustração apareça como uma diversão para Mayara, ela pensa em transformar o hobby em algo mais sério no futuro. Você também pode ajudar a artista por meio de sua página no Padrin, o Naive Heart.

Você pode contribuir até: 30 de abril, mais conhecido como HOJE!

Naruna

Naruna é o primeiro quadrinho que Mayara Lista apresenta para o mundo ainda que ela tenha desenhado quadrinhos durante toda a vida. Ilustradora e designer, Mayara trabalha como storyboarder e designer de personagens além de fazer capas para livros e ilustrações para projetos gráficos variados. Inspirada por lendas ribeirinhas e na centenária arte das carrancas, Naruna nasceu da admiração que Mayara sente “pela riqueza do imaginário popular do brasileiro e da vontade de criar uma história em quadrinho”, o que culminou em uma história bem brasileira.

O quadrinho já está pronto e terá 72 páginas, mas a autora pode adicionar conteúdo extra caso a meta venha a ser ultrapassada. Com lançamento previso para o Festival internacional de Quadrinhos, a FIQ, que acontecerá em Belo Horizonte entre os dias 30 de maio e 3 de junho deste ano, Naruna poderá ser entregue em mãos pela autora durante o festival, mas sempre há a possibilidade de recebê-lo pelo correio. As contribuições começam a partir de 15 reais e as recompensas vão de marca páginas temáticos a adesivos.

Você pode contribuir até: 03 de maio para navegar com Naruna!

Melaço

Já falamos sobre o Melaço em nossas redes sociais, mas é sempre bom reforçar e divulgar um trabalho que tem tudo para ser maravilhoso. Melaço é um quadrinho que reunirá sete histórias curtas e passeará por meio de suas narrativas pelas vidas de diferentes personagens com o foco sempre no amor entre meninas. Com duas histórias publicadas online e outras cinco inéditas, Melaço promete preencher um espacinho normalmente deixado de lado no mundo dos quadrinhos, o de relacionamento entre meninas sem traumas ou grandes dramas. As tramas são recheadas de boas vibrações, muitos beijos, abraços e carinhos, simplesmente a vida como deve ser quando se está amando e em um relacionamento saudável e seguro.

O livro será lançado na FIQ 2018 com capa colorida e miolo p&b, 120 páginas e é um trabalho conjunto de Aline Lemos, Bruna Morgan, Dani Franck, Dika Araújo, Jujuqui, Manu NegriTalita Régismtika e Lita Hayata. A campanha das meninas é para financiar a impressão do livro além das recompensas e entrega das encomendas em território nacional, sempre lembrando que no orçamento já está incluído a porcentagem do Catarse. Em produção desde o final de 2016, as histórias já estão finalizadas e em março foi iniciado o processo de edição para que a revisão possa ser feita com tranquilidade.

Você pode contribuir até: 04 de maio, corre!

Retrato Falado

Diferente dos outros indicados dessa lista, o trabalho de Dandara Manoela é um álbum, o primeiro de sua carreira. Retrato Falado terá 12 composições autorais – 3 delas em parceria com outros artistas – e cantará as diversas faces da artista, que vão do espelho à denúncia e expressão. Dandara falará de “resistência, dores, amores, riso e choro, num trato vestido de canção” enquanto coloca em suas composições “registros das minhas vivências e observações, estendendo a música para além de entretenimento, como instrumento político de transformação, ação, munição e representatividade, que se faz força para os enfrentamentos cotidianos”.

Dandara reside em Florianópolis e cursa serviço social na Universidade Federal de Santa Catarina, e foi vencedora do Prêmio da Música Catarinense 2017, nas categorias melhor cantora e artista revelação com a Orquestra Manancial da Alvorada. Música é sua vida, e a cantora divide seu tempo entre a produção e execução de suas próprias músicas, os vocais na banda de samba reggae Cores de Aidê e a Orquestra Manancial da Alvorada. Na palavras da própria Dandara: sua pluralidade musical também representa um símbolo de resistência das manifestações culturais afro-brasileiras e de afirmação da mulher negra e lésbica no campo artístico cultural.

Você pode contribuir até: 11 de maio, vem cantar!

Aliens of Camila: Bonitos, Xerosos & Noiados

A página no Facebook Aliens of Camila já conta com mais de 340 mil curtidas e agora Camila Padilha, a criadora por trás das criaturas, pretende ir além para publicar suas tirinhas: um quadrinho físico bem lindão que incluirá descrição detalhada dos personagens, ilustrações do universo de Aliens of Camila, cronologia das tirinhas além de curiosidades sobre os personagens. Camila começou a página no Facebook em 2016 e de lá para cá a artista colecionou seguidores e já expôs seus trabalhos no Artist’s Alley da Comic Con Experience, em 2017.

O traço de Camila evoca as melhores qualidades de artistas como Noelle Stevenson e animações como Steven Universe, de Rebecca Sugar, o que é totalmente um elogio. Suas produções são rápidas e perspicazes e abordam todo tipo de trama por meio de personagens despretensiosos e, ao mesmo tempo, divertidos. Camila consegue brincar e questionar a vida, o universo e tudo o mais enquanto fala sobre amizade, cotidiano e feminismo. Você pode contribuir com o projeto Aliens of Camila: Bonitos, Xerosos & Noiados a partir de 10 reais e entre os brindes para os apoiadores estão adesivos e caricaturas no melhor estilo Aliens.

Você pode contribuir até: 12 de maio e salve os unicórnios!

Quadrada

Após quatro anos publicando por conta própria seus zines, Lila Cruz decidiu reunir suas HQs lançadas online em um livro puramente incrível: redesenhadas e coloridas, as histórias publicadas pela jornalista serão também acompanhadas por tramas inéditas além de um guia sobre como publicar seus zines e fazer quadrinhos em casa. O primeiro zine impresso de Lila, Silêncio, foi lançado em 2014 e desde então ela já publicou 20 zines, dos quais 19 foram feitos de maneira totalmente artesanal, da impressão a encadernação.

Com 31 anos, nascida em Salvador e atual residente de São Paulo, Lila Cruz produz quadrinhos desde 2009 além de ministrar oficinas de autopublicação. A experiência que Lila adquiriu ao imprimir mais de mil revistas (!) em sua própria casa a fez aprender a administrar o processo e como montar uma pequena gráfica de maneira prática e barata, o que a possibilitou montar o guia especial que fará parte do Quadrada e promete transformar o leitor em um zineiro capaz de trabalhar no mundo da autopublicação. O Quadrada reunirá histórias de outros fanzines como o Desnuda, o Ansiedade e o Nostálgica, Lila pretende lançar o livro no FIQ, o Festival Internacional de Quadrinhos.

Você pode contribuir até: 16 de maio, na campanha tudo ou nada!

Trégua

Olivia Maia começou a publicar literatura em 2006. Entre romances e contos policiais, a escritora conta com seis livros publicados e participou da coletânea São Paulo Noir organizada por Tony Belloto para a Casa da Palavra em 2016. Segunda Mão, um de seus romances, foi patrocinado pelo Programa Ação Cultural de São Paulo de 2009, enquanto A Última Expedição foi um dos projetos selecionados pelo Programa Petrobras Cultural em 2010. Olivia também é ilustradora e publicou de maneira independente o fanzine Rabiscologia, uma revista de arte, ilustração e literatura.

Trégua é descrito por Olivia como “uma história quase policial sobre paixões, futebol, desencontros e essa eterna dificuldade por se fazer compreender” e virá a público seis anos após sua conclusão. O livro já está pronto e revisado, mas como o editor interessado no material de Olivia não conseguiu publicá-lo na época, a escritora decidiu partir para o financiamento coletivo. Trégua se passa em 2011, três anos antes do Brasil sediar a Copa do Mundo FIFA, e conta a história de Téo e Elisa, dupla dona de uma agência investigação particular que não se interessa muito por futebol, mas acaba decidindo sondar o superfaturamento na construção de um estádio da Copa do Mundo. Acostumados a seguir amantes e cônjuges adúlteros, os amigos insistem na investigação mesmo sem serem contratados para isso enquanto tentam lidar com um filho capaz de expressar para além de um amor enorme por um time de futebol e buscam pela filha desaparecida de um fotógrafo.

Você pode contribuir até: 04 de junho, já entrando no clima da Copa da Rússia!

Meninas e Magia – O Livro de Colorir

Erika SampaioNatália Prata são as artistas por trás de Meninas e Magia – O Livro de Colorir, um livro de colorir que reúne ilustrações de garotas mágicas, desde fadas e bruxinhas, a sereias e tudo mais que há de encantado. Erika é ilustradora freelancer e já trabalhou com jogos, publicidade e livros, além de manter uma fanpage sobre World of Warcraft recheada de tirinhas semanais e fanarts dos personagens do jogo. Natália, enquanto isso, é arquiteta, mas trabalha como ilustradora freelancer e vende adesivos em feiras e online, e é também uma das organizadoras do Colabe Clube do Adesivo. Juntas elas idealizaram e criaram um livro de colorir que é puro encantamento que contém 30 imagens de garotas mágicas, um tema que nos acompanha desde a infância, seja por meio das animações que assistimos – como não lembrar de Sailor Moon e Cardcaptor Sakura quando falamos de garotas mágicas? – ou de histórias que lemos.

Meninas e Magia – O Livro de Colorir terá 32 páginas em miolo Off-set 150g e capa em Triplex 350g. É possível fazer contribuições a partir de 10 reais e o projeto conta com recompensas diversas que vão desde cartões postais ilustrados pelas autoras a adesivos, sketchbooks e comissions feitas por Erika ou Natália.

Você pode contribuir até: 04 de junho para ser uma garota mágica também!

Sombras do Recife

Já pensou em ler uma história em quadrinho que se passa no Recife e reúne as lendas e o folclore da cidade em um universo em constante expansão? Pois a Roberta Cirne, já! A ideia de Sombras do Recife é falar de assombrações, mitos e demais peculiaridades que fazem de Recife uma cidade singular com personagens de diferentes épocas e cenários, sempre misturando fatos reais e ficção. Roberta, que é pesquisadora, roteirista e desenhista de histórias em quadrinhos, é a mulher à frente do site Sombras do Recife e que fornece conteúdo gratuito em quadrinhos, fatos históricos e folclore recifense. Sombras do Recife, o quadrinho, é o primeiro trabalho autoral de Roberta e, nas palavras da própria escritora, o sonho de uma vida se transformando em realidade.

O volume inicial de Sombras do Recife conta com histórias completas, então não há o problema de precisar esperar pela continuação para saber o que acontece aos personagens, e já está prontinho e apenas aguardando o final do financiamento coletivo para ser enviado aos seus apoiadores. Sombras do Recife reúne histórias como Boca de Ouro, sobre um homem que descobre no jogo do bicho uma oportunidade de conquistar riquezas e amor, e A Presença Dela, narrativa que mistura um crime que ocorreu em Recife em 1860 e a vida de Lorena, 150 anos, e o mundo sobrenatural que a moça não sabia que existia. A revista será impressa em tamanho A4 com capa cartonada e terá 45 páginas coloridas além de artes adicionais, curiosidades e fichas dos personagens.

Você pode contribuir até: 06 de junho, se não o homem do saco de pega!

Casacadabra: Cidades para Brincar

Da ideia de criar cidades mais humanas, abertas ao encontro e à construção coletiva, as arquitetas Simone Sayegh, Luísa Amoroso e a jornalista Bianca Antunes criaram o Casacadabra, livro que está em seu segundo volume e que pretende romper a difícil barreira de comunicação que existe entre os arquitetos e a sociedade. Por mais que o trabalho do arquiteto seja intrínseco à construção e a vivência no meio urbano, nem sempre aquele que usa e vive a cidade se atenta a isso. Ensinar Arquitetura e Urbanismo para crianças, na visão das autoras do projeto, é o primeiro passo para que as cidades tenham a chance de receber, no futuro, “um olhar mais crítico e apurado de quem a constrói, na busca de melhores soluções urbanas”.

Com ilustrações de Luísa Amoroso, Casacadabra é repleto dos detalhes que preenchem o dia a dia nas cidades e com colagens que revelam, aos poucos, as camadas do ambiente urbano. Construir a cidade, de acordo com as autoras, está na mão de todos nós. Casacadabra trará histórias de dez espaços públicos, de projetos assinados por arquitetos ou pela comunidade em que estão inseridos, desde o High Line em Nova York ao Cantinho do Céu, em São Paulo. Ao aproximar o espaço urbano do cotidiano de crianças e adultos, Casacadabra pretende construir aprendizado por meio de imagens lúdicas e boas histórias.

Você pode contribuir até: 15 de junho, mas não perde tempo e vem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 comentários