TV

Um estilo de vida, uma religião: os melhores episódios de Gilmore Girls

Hoje Gilmore Girls foi acrescentada ao catálogo da Netflix e nós já demos bons motivos para você adicioná-la à sua lista – se não para assistir imediatamente, para ficar de lembrete e assistir algum dia. Porque um fato é que uma hora ou outra você vai precisar dessa série na sua vida, ser confortado por ela ou ser ensinado algumas lições. (De nada.) Enquanto isso, para instigar o gosto dos iniciantes e contagiar fãs antigos com lembranças, organizei um breve guia com sete episódios da série que considero os melhores em caracterizá-la, assim como são importantes para o desenvolvimento da história que circunda a vida de Lorelai e Rory e, por consequência, também são alguns dos meus episódios favoritos.

Aviso: esse texto não contém detalhes do enredo que possam estragar a sua experiência de assistir à série. O contexto do episódio foi abordado de modo superficial, justamente com essa preocupação. No entanto, dependendo do que você considera spoiler, a leitura não é recomendada.

(1.01) “Pilot” 


Não consigo começar esse o guia sem incluir o episódio piloto na lista. É um episódio crucial para introduzir os personagens que viremos a amar com o tempo (senão de imediato) e o contexto da série que iremos acompanhar pelas próximas semanas, meses, anos – enfim, o universo em que iremos nos refugiar enquanto não estamos envolvidos com a vida real e suas responsabilidades. No episódio piloto temos um panorama do que é a vida em Stars Hollow e de como é o relacionamento das garotas Gilmore.

Um episódio que começa como uma cena marcante que vai resumir em poucos minutos o que você pode esperar de Gilmore Girls: Lorelai Gilmore como uma mulher extrovertida, Rory Gilmore como uma menina mais pé no chão e tímida, café, referências à cultura pop e um diálogo muito dinâmico. Em seguida você já vai ser introduzida aos mundos particulares de Lorelai e Rory e suas devidas ambições, sem rodeios ou futilidades. Gilmore Girls se apresenta com uma promessa e a cumpre: fazer os enredos pequenos se tornarem maiores no grande espectro da vida. São mulheres reais retratadas com força e vulnerabilidade, e outros personagens que as acompanham nesse mesmo caminho. Esteja preparado para ser Gilmorizado.

(3.22) “Those Are Strings, Pinocchio”

Por três temporadas, Lorelai apenas sonhou em abrir sua própria pousada e Rory apenas sonhou em entrar para Harvard. Nessa season finale, seus sonhos nunca estiveram tão próximos de acontecer ou tão concretos (com algumas mudanças do plano original, se vocês sabem do que estou falando). Depois de três anos sob o ensino rigoroso de Chilton, Rory está se formando com mérito e com uma vaga garantida na faculdade. Ou quase. Mais uma vez as Gilmore estão com o orçamento apertado, e para não ter de escolher entre o sonho de uma ou de outra, é a vez de Rory fazer um acordo com os avós em troca da continuidade dos jantares de sexta à noite. É uma ocasião em que todos vencem, pois Lorelai poderá usar seu dinheiro para investir em sua pousada, Rory terá seu futuro acadêmico garantido, e Emily continuará em contato com suas garotas.

Resta a todos comemorarem suas conquistas na colação de grau de Rory, momento em que todos se emocionam com um discurso lindíssimo, inspirador, emocionante, enfim, uma ótima referência para todas as meninas que precisam escrever seus discursos de oradora na vida real. É um episódio que encerra uma fase, repleto de orgulho, alegria e proximidade com aqueles que comemoram nossas conquistas junto com a gente. Também é um episódio importante para nos lembrar que quando vencemos mais uma etapa e olhamos para trás, as batalhas passadas não parecem mais tão assustadoras e os desafios não parecem mais tão ruins. À parte de alguns problemas que causaram uma dor recente nos últimos episódios, Lorelai e Rory jamais estiveram tão confiantes de si mesmas, nem tão prontas para enfrentar o que virá adiante. Nós comemoramos com elas e somos contagiadas pela esperança de fazer o mesmo esforço pelo nosso futuro.

(4.14) “The Incredible Shrinking Lorelais” 


Em meados da quarta temporada, Rory está na faculdade e Lorelai está construindo sua própria pousada. As duas estão dedicadas em aproveitar o melhor da nova fase de suas vidas, e tudo parece estar correndo bem, até que não está. De um lado, Rory se dá conta de que não está conseguindo acompanhar todas as matérias da faculdade e é convidada a desistir de um curso, o que nunca havia acontecido antes em toda sua vida. De outro, Lorelai está cada vez mais sobrecarregada de tarefas as quais não consegue delegar, e um jantar em família que coloca em questão sua situação financeira é o estopim para que ela saia de lá se sentindo pequena.

Sem poder contar uma com a outra, já que estão distantes e os horários não coincidem, elas desabam. Choram e desabafam em ombros amigos, dizem em voz alta que estão fracassando e liberam seus sentimentos em uma genuína demonstração de decepção consigo mesmas e insegurança. Um episódio tão humano que é impossível não chorar junto com elas enquanto relembramos um momento pessoal em que nos sentimos assim também.

(4.17) “Girls in Bikinis, Boys Doin’ the Twist” 


Se for para falar de um episódio sobre experiências, esse é o exemplo ideal. Calouras na faculdade, Rory e Paris estão determinadas em fazer da vida acadêmica uma fase marcante em suas vidas, alcançar suas ambições e fazer a diferença. Em uma ocasião, por exemplo, elas tentam abraçar uma grande causa promovendo um abaixo assinado por melhores condições de vida para prisioneiros da Birmânia (!), mas nenhum dos outros estudantes do campus se demonstra interessado, pois universitários ainda são universitários (interprete como quiser).

Apesar de ser primavera, ainda está muito frio em Connecticut, então elas consideram aceitar o convite de uma de suas colegas de quarto para passar a spring break na Flórida – o que, convenhamos, não combina nada com a personalidade das duas. Spring break, como Rory define, é muito sobre girls gone wild and boys doing the twist. Mas, como jovens de mente aberta, elas decidem ir em prol de um pouco de sol. Tudo bem que os planos iniciais eram assistir TV (“Whoa whoa whoa, you watched The Power of the Myth?”) e comer pizza no quarto de hotel, o que qualquer pessoa too school for cool faria, mas, como diz aquele ditado “Quando em Roma, faça como os romanos”, os planos podem mudar e a spring break pode se tornar um desafio de experiência. Com alguns reencontros e umas situações inusitadas, para nosso prazer e diversão.

(4.22) “Raincoats and Recipes”


Para grande parte dos fãs de Gilmore Girls, a season finale da quarta temporada é o episódio mais esperado da série até então. Eventos importantes estão acontecendo, o que inclui a inauguração da Dragonfly Inn, a pousada da Lorelai, que finalmente ficou pronta e vai recepcionar os cidadãos de Stars Hollow que mais amamos para pernoitar durante o fim de semana como um teste de funcionamento. Ao mesmo tempo, Lorelai está avoada por conta de uma mudança muito bem-vinda em sua vida amorosa.

A vida de Rory, no entanto, tem andado tão dentro da normalidade, que o incômodo da menina acaba distraindo-a de seu bom julgamento e a faz tomar uma atitude impensada com uma grande consequência. Do outro lado, o relacionamento dos Gilmore pais está balançado como nunca esteve antes, o que causa uma sensação de estranheza em todos à sua volta. Grandes mudanças estão prestes a acontecer. Mas o principal saldo do episódio são as cinco palavras que vão te fazer explodir em êxtase (eu espero). E o Kirk, é claro, que vai continuar sendo o Kirk.

(6.13) “Friday Night’s Alright For Fighting” 


O retorno da filha pródiga para o lugar onde ela pertence pode ter aliviado o avanço da sexta temporada, mas restava uma bagunça para limpar pelas três partes envolvidas: primeiro, temos Lorelai, cujos conselhos de mãe foram ignorados e o resultado foi um período sombrio longe de sua filha; segundo, temos Emily e Richard que acolheram Rory e de fato trataram-na como se sua filha fosse; terceiro, temos Rory, que causou a situação que desequilibrou sua família como nunca antes. Pesadelo de um lado, sonho realizado de outro. Até que a peça acabou. Demorou, mas Rory se deu conta de que a vida que estava levando em nada coincidia com seus ideais. Emily e Richard perderam o poder que estavam adorando exercer sobre a neta, e Lorelai aos poucos estava retomando seu papel na vida da filha.

Enquanto tudo voltava ao normal, o ressentimento permanecia e todos os problemas (e eu quero dizer todos) deles precisavam ser colocados em pratos limpos. E foram. “Friday Night’s Alright For Fighting” é o episódio que ilustra as calorosas discussões que acontecem nas melhores famílias. Em termos técnicos – os quais não sou especialista – o roteiro (fun fact: enquanto o roteiro de um episódio de uma hora tem normalmente 45 páginas, o de Gilmore Girls tinha cerca de 80) da cena principal a torna mais marcante, e o movimento da câmera deixa a cena muito mais dinâmica. E por fim, “we’ve officially restablished the Friday night dinners”.

(7.22) “Bon Voyage”

A sétima temporada de Gilmore Girls está longe de ser uma das melhores, não só porque não saiu das mãos da criadora da série, como também por ser a última temporada de Gilmore Girls, o que torna(va) tudo mais triste – pelo menos, até o anúncio do revival . No entanto, tão importante quanto o episódio piloto é a series finale – e “Bon Voyage” foi uma boa pseudoconclusão. A essa altura, Rory concluiu a faculdade e está pronta para continuar o seu caminho, mas adentrar o mundo adulto como profissional pela primeira vez é um passo incerto e mais uma vez ela está em fase de aprendizagem. Depois de tantas incertezas, quando uma oportunidade surge, ela a agarra, e precisa deixar Stars Hollow para conquistar o mundo.

Como o título sugere, o episódio é uma despedida. Uma despedida da Rory para Stars Hollow, e uma despedida da série para nós. Repleta de diálogos que emocionam, o episódio é o último abraço que recebemos dessa série maravilhosa. As lágrimas podem ou não cair junto com a chuva, ao som dos lalalas que sempre embalaram a série. Mas como nada é perfeito, Gilmore Girls se despediu com o futuro das personagens em aberto, e enquanto a continuação não foi confirmada, a curiosidade nos consumia por dentro e nos deixava apenas imaginando o que poderia ter acontecido. Graças aos céus (por “céus” lê-se “Netflix”), agora saberemos. Do contrário, a única certeza que teríamos é que Lorelai deu a Rory tudo que ela precisava. E por isso, nós agradecemos.

Bônus: (2.07) “Like Mother, Like Daughter”


O sétimo episódio da segunda temporada é um dos meus favoritos pessoais. Um dos episódios que eu mais escolho quando sinto vontade de assistir Gilmore Girls em modo aleatório, e o que eu mais recomendo quando outras pessoas querem fazer o mesmo. Sem grandes objetivos, o enredo desse episódio preenche a temporada com momentos gostosos e uma questão mundana na vida escolar: socialização e participação versus momentos reclusos na companhia de um bom livro. É uma verdade universalmente conhecida que Rory é uma pessoa que lê, e não só isso, ela carrega pelo menos cinco livros diferentes consigo para ter opções caso enjoe de uma leitura (eu, pessoalmente, me identifico muito).

A questão é que sua escola encoraja a socialização como critério de recomendação para faculdades, e nisso Rory se vê na obrigação de interagir com outras alunas – e o grupo que ela escolhe tem uma segredo bastante peculiar. Ao que Lorelai tenta defender a filha perante o diretor, acaba se encontrando na mesma situação e de repente está inserida em clube de pais organizando eventos para caridade. Mais uma vez preciso bater na tecla da sagacidade de como os diálogos são colocados em Gilmore Girls, sem contar que esse episódios em especial é repleto de referências à cultura pop. Vale apreciar esse episódio pela conversa sobre guilty pleasures musicais, Paris sendo um livro pop-up do inferno, e Lorelai e Emily em um dos momentos raros em que não estão discutindo. Tal mãe, tal filha – já diz o título do episódio (e da versão brasileira da série).

Com um pouco de dificuldade para escolher, foram esses os episódios que mais me marcaram em Gilmore Girls. Aproveitem a maratona na Netflix, e depois me contem: quais os episódios preferidos de vocês?

Posts Relacionados

2 Comentários

  • Responda
    Henrique D'aguano
    6 de agosto de 2016 at 22:01

    Olá,

    Primeiramente, amei o post! Gilmore Girls é o xodó da minha vida e eu acabei de rever tudo pela Netflix e foi mágico. Adorei as suas escolhas de episódios, acho que em minha lista pessoal eu teria, além dos 1×01, 3×22, 4×22, 6×13 e 7×22 que você colocou, eu adicionaria o 3×07, 3×13, 4×07 e o 6×19.

    Ah, e uma correção: O Friday Night’s Alright For Fighting é o 6×13 e não o 6×16, como você colocou na matéria.

    Abraços. 🙂

    • Responda
      Yuu
      27 de agosto de 2016 at 18:05

      Fico feliz que tenha gostado do post, Henrique! Gilmore Girls também é meu xodó, temos isso em comum. Adoro todos os outros episódios que você mencionou, mas precisei me controlar na hora de escrever esse texto e acabei selecionando apenas oito episódios. E obrigada pelo toque, já arrumei o número do episódio (eu marquei todos de cabeça, então pelo menos eu errei por pouco, né?). Abraços!

    Deixe um Comentário