Categorias: MÚSICA

MONTERO e o manifesto de Lil Nas X para o mundo

MONTERO é o nome do álbum de estúdio de estreia do artista estadunidense Lil Nas X, com estreia em 17 de setembro de 2021. Nesse sentido, é uma produção autointitulada, pois o nome do rapper original de Georgia é Montero Lamar Hill. No que diz respeito aos detalhes técnicos, consiste num produto de 15 faixas, com gravação pela Columbia Records e participações de peso — como exemplo, pode-se citar Doja Cat, Elton John  e Megan Thee Stallion, nomes que são referências no meio e também estão no topo das paradas.

Dessa forma, cabe citar ainda que MONTERO contou com quatro singles prévios, com lançamento desde março até a data de estreia da produção. No geral, o álbum liderou as paradas em países como a Austrália, Dinamarca, Irlanda, e manteve-se no Top 10 das principais paradas dos Estados Unidos. Em contrapartida, nessa primeira etapa de descrição do álbum cabe aprofundar na musicalidade, porque apesar de ser rapper, Lil Nas X trouxe influências de outros gêneros musicais. Desde o R&B até o trap, as faixas são um conjunto de relatos, e como o próprio artista disse, MONTERO recebe seu nome porque é seu manifesto para o mundo.

Montero conseguiu destaque como Lil Nas X a partir do single de country rap “Old Town Road” com Billy Ray Cyrus. A música tornou-se viral no início de 2019, entrando nas paradas musicais, trends nas redes sociais e tornando-se uma febre internacional. Além disso, chegou a receber certificado de diamante após passar 19 semanas no topo da tabela Billboard Hot 100, sendo a canção com mais tempo nessa posição desde 1958.

Uma das reviravoltas principais na sua carreira acontece quando ele se assumiu homossexual durante o pico do sucesso do single. Em especial por se tornar um dos principais artistas negros e homossexuais na indústria musical, sobretudo no gênero de rap onde existem incontáveis estigmas sobre masculinidade. Apesar disso, no mesmo ano desse evento, Lil Nas X tornou-se um dos principais cantores negros queer, estabelecendo-se como um importante símbolo da comunidade LGBT negra até os dias atuais, mas reforçando esse caráter por meio de MONTERO.

MONTERO, o álbum e o artista

Ainda que MONTERO  tenha sido lançado em 2021, sua produção vem desde antes de 2019, porque Lil Nas X desenvolveu o projeto das canções ainda enquanto compunha e produzia “Old Town Road”. Dessa forma, se trata de um projeto que conta a história da sua juventude, considerando que corresponde ao período de seus 19 anos aos 22 anos de idade. Nesse contexto, as 15 faixas apresentam diferentes lados e características do cantor. Em suas letras, há relatos sobre a dificuldade de se aceitar como pessoa, os problemas de autoestima enquanto homem negro e a trajetória para tornar-se uma personalidade empoderada.

Lil Nas X mergulha na própria dor para dividir com os ouvintes como foi viver como um jovem homossexual negro em meio a pessoas conservadoras e preconceituosas com todas as partes de sua personalidade. Sendo assim, é como se o artista abrisse a caixa forte de seus pensamentos, medos e traumas por meio de letras de impacto e melodias sempre fortes e intensas, ainda que mais melódicas.

Sobretudo, MONTERO é uma viagem ao mundo pessoal de Lil Nas X. Por um lado, ele inicia o álbum com “Call Me by Your Name”, uma canção que trata sobre sua sexualidade e identidade sexual, abordando um estilo de vida intenso e sensual que parece referir-se ainda ao estereótipo que as pessoas têm dos homossexuais, em especial os homens negros. Aliás, grande parte da polêmica envolvendo essa música envolve o videoclipe onde ele utiliza de referências bíblicas e religiosas para abordar sobre pecado e pureza enquanto canta sobre sexo de maneira desinibida, exibindo seu corpo como um instrumento artístico e de expressão tanto quanto como a letra e sua própria voz.

Logo em seguida, apresenta músicas sobre os julgamentos que sofreu e promete superar tudo com excelência, o que tem feito muito bem ao manter-se nos assuntos mais falados das redes sociais e no topo de todas as principais paradas musicais. Sendo assim, músicas como “Industry Baby” e “Don’t Want It” carregam o caráter combativo e corajoso que Lil Nas X mostra ao enfrentar todos os desafios de sua vida, desde haters até problemas emocionais como ansiedade e depressão.

Por sua vez, canções como “Scoop” e “Dolla Sign Slime” trazem temáticas sobre autoestima, um tema tão sensível, mas tão urgente para homens pretos. Mais do que reforçar sua auto imagem, o artista tenta inspirar em quem escuta um sentimento de empoderamento e amor próprio, com letras que falam sobre vaidade, dinheiro e a sensação de sentir-se bem com o que vemos diante do espelho. Apesar disso, músicas como “Void” e “Sun Goes Down” tratam das experiências difíceis que Lil Nas X teve em relacionamentos prévios, em especial no contexto da objetificação de seu corpo, decepções amorosas e a dor da perda nesse processo. Nesse momento, canções sobre seus sentimentos conflituosos, pensamentos violentos e até mesmo um forte julgamento pessoal apresentam um lado de Lil Nas X que traz maior profundidade à imagem pública de uma pessoa divertida e majoritariamente alto astral.

Por outro lado, encerra com “Am I Dreaming” com participação de Miley Cyrus, uma canção sobre como a música é ao mesmo tempo um mecanismo de libertação e um difícil exercício de revisitar suas piores memórias. Reforça como escrever sobre seus sentimentos e experiências de vida são uma forma de reescrever a própria trajetória, reforçando a importância da arte e de seu álbum como um manifesto. Por fim, ainda que algumas participações deixem a desejar, e outras canções poderiam contar com vozes incríveis, o álbum tem uma linha do tempo importante. Sendo assim, é fundamental escutar, e também viver a experiência musical que ele promove, ouvindo as faixas em seguida, sem modo aleatório. Dessa forma, pode-se entender a energia das canções em particular, mas também a mensagem completa.

Por que precisamos de mais referências como Lil Nas X?

No geral, Lil Nas X tornou-se uma figura polêmica desde o primeiro momento em que surgiu, como fruto do período entre Millennials e Geração Z, o artista é filho da internet e do Twitter. Curiosamente, desde o início de sua carreira ele utiliza de memes nas redes sociais para promover seu trabalho. Mais ainda, adentrou o espaço digital aos treze anos de idade, criando memes como uma forma de entretenimento, mas também para demonstrar sua personalidade e interesse na cultura pop.

Antes de mais nada, os relatos sobre a vida pessoal afirmam que Nas começou a aceitar a própria sexualidade a partir dos 17 anos, estabelecendo para si mesmo um personagem como forma de lidar com críticas e ataques. Portanto, após se assumir num momento tão crítico em que seu nome e sua música tocavam em todos os lugares do mundo, ele abraçou desde cedo as polêmicas e utilizou-as como impulsionador de sua carreira. Ou seja, ao invés de deixar com que as críticas o derrubem, Lil Nas X sempre bebeu da fonte para se inspirar artisticamente. Como exemplo, pode-se citar as referências às críticas dele ser muito vulgar, presentes no clipe MONTERO em momentos que utiliza de brinquedos sexuais ao invés de pedras sendo lançadas em sua direção numa cena que representa um julgamento romano. Em contrapartida, há ainda o hábito de aprofundar-se ainda mais na polêmica e gerar o máximo de incômodo possível, como aconteceu na promoção de MONTERO.

O artista utilizou de uma analogia de gravidez para referir-se à gestação do seu primeiro álbum, com direito a chá de bebê com os artistas que fizeram participações especiais e um vídeo curto do parto acontecendo no dia do lançamento de MONTERO. Ainda que tenha recebido críticas por sua personalidade, uma das questões mais inspiradoras sobre o artista é como ele lida de frente, com muito humor (e claro, muitos memes), mas também utilizando aquilo que lhe causa mal para criar novas músicas e novas tendências.

Primordialmente, Lil Nas X é um jovem, uma pessoa que pertence ao mundo das redes sociais, da exposição, dos memes e brincadeiras duvidáveis. Ele abraça essas características e imprime sua arte em cada passo, sendo como consequência um artista extremamente autêntico, divertido e que consegue alcançar seu público de uma forma humana e horizontal, algo desafiador em uma indústria de produção em massa. Acima de tudo, MONTERO reafirma Lil Nas X como uma personalidade que constantemente desafia os parâmetros e limites, tanto os de gênero, quanto os de etnia e sexualidade. Porque dá voz a questões urgentes da comunidade negra e LGBT, em especial sobre masculinidade e autoimagem, é um exemplo do que as próximas gerações precisam como referência quando o assunto é admirar e acompanhar figuras públicas.

No meio de uma enxurrada de fórmulas prontas e artistas buscando replicar sucessos desde o lançamento de suas carreiras, Lil Nas X é um respiro necessário para quem busca se ver mais nas pessoas que admiram, e encontrar nelas a inspiração para lidar com as dificuldades. Ainda que não se coloque na posição de agente social, por meio do entretenimento que produz desde suas canções até os memes no Twitter, o artista alcança pessoas diversas, para o bem ou para o mal. Ainda que crie um incômodo em algumas pessoas, cria também reflexões e uma imagem que retrata mais a realidade em que vivemos, e menos a que querem nos vender como verdade absoluta.

A partir das atitudes polêmicas, mas que utilizam o ódio e as críticas como combustível para criar obras incríveis, ele se apresenta ao mundo de maneira autêntica e exercita a própria arte como quem busca se curar e calar os próprios demônios. Ademais, acaba ajudando outros que compartilham dessa dor, fazendo isso de forma empática e tão próxima que se parece mais um amigo dos seus fãs.

Ainda que nunca tenha tido a pretensão de ser um exemplo ou exercer tamanha influência, como afirmou e explicou em diversas entrevistas e declarações nas redes sociais, Lil Nas X mostra a jovens e pessoas como ele que existe uma outra possibilidade no meio de tanto preconceito e tantas expectativas. Com as 15 faixas de MONTERO, e a história que manifesta para o público, não somente a sua resistência mediante as dificuldades, como também a própria imagem de Montero Lamar Hill enquanto Lil Nas X inspira e desperta a coragem necessária para assumirmos quem somos no mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *