Categorias: COLABORAÇÃO, MÚSICA

A Reinvenção de Aly & AJ

Se você acompanhava o Disney Channel na metade dos anos 2000, provavelmente reconhecerá Aly & AJ mesmo sem saber quem elas são. Nascidas e criadas na cidade de Torrance, na Califórnia, as irmãs Alyson e Amanda Joy Michalka começaram a atuar na infância, fazendo a transição de produções locais para séries de televisão durante a pré-adolescência.

Em 2004, AJ, a irmã mais nova, fazia pontas em produções como General Hospital e Six Feet Under, já Aly estreava como a animada aspirante a repórter Keely Teslow em Phil do Futuro. A série do Disney Channel acompanhava as aventuras de uma família do futuro que é obrigada a aprender a viver no século XXI. Keely faz amizade com Phil, o filho mais velho da família, e se torna a única a saber de onde ele veio.

A Disney, que não é boba nem nada, logo percebeu o potencial que as irmãs tinham atuando e cantando juntas. Naquele mesmo ano, Aly & AJ, então com 15 e 13 anos, fizeram parte da coletânea de Natal Radio Disney Jingle Jams com sua versão da música “Jingle Bell Rock”. Em 2005, lançaram “Do You Believe in Magic”, cover do clássico da banda The Lovin’ Spoonful, como parte da trilha sonora de Agora Você Vê, um filme original do Disney Channel estrelado por Aly.

O cover ficou em segundo lugar nos charts de vendas nos Estados Unidos. A música então foi incluída em Into the Rush, o primeiro disco oficial da dupla. Lançado pela Hollywood Records em agosto de 2005, o álbum tem 14 faixas, 12 das quais foram escritas pelas irmãs tanto com outros compositores como sozinhas. As músicas abordavam ao som de um pop rock gostoso questões pelas quais todos os adolescentes passam: “Rush” e “No One” falam sobre tentar descobrir quem são em um momento da vida em que tudo está mudando, em “In a Second” relatam as sensações do primeiro amor e, em “Chemicals React”, lançada na versão deluxe do CD, de como esse amor pode ser um tanto confuso.

Durante os anos que se seguiram, elas participaram de turnês com as Cheetah Girls e Miley Cyrus. Mas assim como aconteceu com essas artistas, havia uma vontade de expandir a marca Aly & AJ para além da música. Com o fim de Phil do Futuro em 2006, o Disney Channel gravou o piloto da série Haversham Hall, estrelado pela dupla. A premissa era bem parecida com a do filme Operação Cupido: as garotas viviam Hope e Sam que, ao se tornarem roomates em um internato, descobrem que são irmãs. O programa não foi para frente, então logo as protagonistas partiram para o filme feito para TV Belas e Mimadas. A história dessa vez era parecida com a de Material Girls, com Hilary e Hailey Duff: duas irmãs ricas e superficiais são obrigadas a mudar seus hábitos quando seu pai perde a fortuna.

De tempos em tempos, o Disney Channel renova sua programação e seus principais artistas, investindo naqueles que forem mais jovens e tiverem maior potencial para acontecer entre o público infantil e infanto-juvenil. Em 2007, esses artistas eram Miley Cyrus, Selena Gomez, Demi Lovato e os Jonas Brothers. Aos 18 e 16 anos, Aly e AJ cortaram os laços com o canal, indo explorar outros ares. Nesse experimento foram parar na MTV, que queria lhes dar um reality show. A ideia também não deu certo e o material coletado para o possível programa foi transformado em um especial de uma hora sobre a festa de aniversário das duas irmãs chamado Aly & AJ: Sister Act.

Jovens adultas

Alguns meses depois, as irmãs Michalka lançaram seu segundo disco, Insomniatic. Também composto por elas, o CD contém algumas das músicas mais conhecidas da dupla. Entre elas está “Potential Breakup Song”, que chegou ao número 17 do ranking Hot 100 da Billboard e vendeu mais de um milhão de cópias nos Estados Unidos, recebendo o disco de platina. Considerada a 9ª melhor música de 2007 pela revista Time, PBS mostra o amadurecimento das composições de Aly & AJ. A letra aborda o fim de um namoro no qual quem canta não foi tratado como deveria pela outra parte. “It took too long for you to call back and normally I would just forget that/ Except for the fact it was my birthday my stupid birthday”, cantam elas. Em seguida, listam os motivos pelos quais o ex deveria ter pensado melhor antes de ter agido dessa forma. Tudo isso com a companhia de guitarras e sintetizadores, que na época ainda não eram tão usados por estrelas do pop adolescente.

Insomniatic como um todo é coeso e tem um tom bastante melancólico que remete à passagem para a vida adulta que as irmãs estavam começando a experienciar. “Division”, por exemplo, usa a metáfora da colação de grau do ensino médio e o início da faculdade para retratar a tristeza do fim de um relacionamento (“Congratulations, now you are free you have earned your degree”). Já “Like it or leave it” tem uma das batidas mais animadas do disco ao mesmo tempo em que descreve as desavenças entre pessoas que se gostam e não conseguem encontrar um equilíbrio. E em “Silence”, a dupla segue o mesmo tom, dessa vez tentando salvar uma relação após terem trocado palavras horríveis no calor de brigas.

Mesmo com tanto a seu favor, Insomniatic foi pouco promovido pela Hollywood Records. Em 2009, Aly & AJ deixaram a gravadora e criaram sua própria, a 78violet Music, pela qual poderiam lançar suas músicas com o nome de sua nova banda, 78violet. “Conforme fomos ficando mais velhas, [a relação com a Disney] foi ficando mais difícil porque tínhamos um gosto diferente de quando começamos”, explicou Aly em entrevista à Vanity Fair em 2013. “Gosto do fato de termos saído quando saímos porque se tivéssemos continuado lá, estaríamos lançando músicas que não gostávamos de coração.”

A partir da saída da HR, as irmãs focaram em projetos pessoais, principalmente no campo da atuação. Aly estrelou filmes como High School Band (2009) ao lado de Vanessa Hudgens, A Mentira (2010) com Emma Stone e Colega de Quarto (2011) com Leighton Meester e Minka Kelly. Entre 2010 e 2011, ela também viveu a protagonista Marti Perkins na série Hellcats, que acompanhava um grupo de líderes de torcida de uma universidade norte-americana. Durante esse período, AJ focou sua energia em filmes de grande visibilidade como Um Olhar do Paraíso (2009), Secretariat (2010) e Super 8 (2011).

Foi só em 2013 que as duas voltaram a lançar novas músicas. “78 é o número da platina e representa nossa relação como irmãs e violet sempre foi uma cor espiritual para nós duas”, disse AJ à Vanity Fair. “Agora tentamos ter nossos próprios espaços e não vivemos cada segundo das nossas vidas juntas. Essa separação torna os momentos que passamos juntas mais especiais.” 

“Hothouse” foi o primeiro e único single dessa era da dupla: escrita pelas irmãs em parceria com Mike Einziger, do Incubus, a canção mistura o pop pelo qual as Michalka ficaram conhecidas com elementos do folk e do rock alternativo. As mudanças ficaram perceptíveis também na estética: antes vestidas com roupas mais elaboradas e um tanto adultas para as idades que tinham quando estavam na Disney — em um vídeo em que reagem aos clipes antigos, reconhecem e criticam o styling e a quantidade de maquiagem a qual foram submetidas para algumas gravações —, Aly e AJ passaram a usar os cabelos com texturas naturais e incorporaram tecidos mais leves, bem como padrões florais, em seus clipes e performances.

Bastante tempo e energia foram investidos na promoção de 78violet, com entrevistas e  apresentações acústicas tanto de “Hothouse” quanto de “Boy”, que deveria ser o segundo single do novo disco delas. Este acabou vazando na internet, o que fez a dupla cancelar seu lançamento. As faixas estão disponíveis no YouTube para quem quiser procurar e dão continuidade às características apresentadas em “Hothouse”. Não dá para saber se as músicas foram finalizadas como Aly e AJ gostariam, mas de forma geral elas pareciam ainda estar tentando se encontrar nessa fase independente. A era 78violet acabou com as irmãs deixando o CD que tinham preparado para lá e voltando a focar suas energias em trabalhos para TV e o cinema nos quatro anos que se seguiram.

Ten Years

Dez anos após terem lançado Insomniatic, as Michalka voltaram a se chamar Aly & AJ e lançaram “Take Me”, o primeiro single do EP Ten Years. Com resquícios dos sintetizadores e das batidas fora do convencional de seu segundo CD, a música se concentra na antecipação de um relacionamento que parece nunca sair da fase da amizade para se tornar algo mais. A faixa retrata a dupla num momento mais maduro e adaptando seu próprio som ao então contemporâneo. Isso transparece nas outras três músicas do EP lançado em novembro de 2017. “As novas músicas são bastante inspiradas na década de 1980 e têm muito a ver com o mundo do pop indie”, afirmou Aly em entrevista ao youtuber Aaron Rhodes. “Foi uma progressão natural. Não forçamos a barra para nos encaixarmos em um gênero musical específico: começamos a compor e nos deixamos levar”, completou AJ.

As novas músicas não fizeram um grande barulho além dos fãs originais da dupla, mas essa não parece ser uma preocupação das artistas. Ao sair da Hollywood Records e cortar os laços com a Disney, Aly e AJ deixaram de lado uma grande estrutura de produção e marketing que poderia levá-las ao status de estrelas mundialmente reconhecidas, como foi o caso da Demi Lovato e dos Jonas Brothers. No Spotify, as cinco faixas de seu novo EP, Sanctuary, lançado em maio deste ano, juntas tiveram somente 10% da quantidade de plays de “Potential Breakup Song” — vale notar que no Brasil o restante do catálogo delas não está disponível na plataforma, o que pode ter influenciado o número. Ainda assim, a dupla parece estar em seu auge artístico.

O primeiro single de Sanctuary se chama “Church” e é de longe umas das músicas mais bonitas da dupla. A palavra “church” [igreja, em português], no contexto da música, representa redenção. “I do bad things, can’t you see it on my face I get caught in every lie. I can’t even stop to take care of my own self let alone somebody else”, revelam no segundo verso da música, refletindo sobre como podem aprender a aceitar que nada é perfeito — e tudo bem.

Enquanto “Church” flerta com essa ideia, “Don’t Go Changing” é um mantra da auto aceitação. “Todo mundo precisa de uma música que os lembre de que são únicos e lindos do jeito que são. Nós tocamos em temas como esse nos nossos discos passados e sentimos que era importante repassar esse tipo de amor e positividade para nossos fãs”, disse a dupla em entrevista à revista Paper.

A estética da dupla continuou no caminho natural da era “Hothouse”, porém com mais sofisticação. No clipe de “Don’t Go Changing”, elas andam, cantam e dançam pelas ruas dos bairros de Manhattan e Brooklyn em Nova York com maquiagem simples, cabelos mais naturais e ternos azuis da grife Ferragamo. Atualmente, elas dividem o tempo entre a TV e a música. Aly faz parte do elenco de iZombie e AJ é a protagonista do sitcom Schooled. Elas lançam novas faixas de acordo com o próprio calendário e não o de uma estrutura maior. Acima de tudo, Aly e AJ parecem confortáveis e felizes com a arte que estão criando e com as pessoas que estão se tornando, inspirando todos nós a fazermos o mesmo.

Isabela Moreira é jornalista e foi uma membro ativa da pequena comunidade de fãs brasileiros de Aly & AJ no Orkut. Às vezes compartilha memes e trívias no Twitter, semanalmente escreve a newsletter Reprisa, onde fala sobre cultura pop, feminismo, comportamento e saúde mental.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 comentário