Navegando Pela Tag:

outlander

TV

Troféu Valkirias de Melhores do Ano: Televisão

O ano de 2017 pode ser facilmente classificado como o das narrativas sobre mulheres. Foram várias as séries e produções que focaram em suas personagens femininas, em sua força e resiliência, em suas histórias, dramas e sonhos. Foi 2017 que nos trouxe a incrível adaptação de O Conto da Aia, livro homônimo escrito por Margaret Atwood, e também Big Little Lies, inspirado no livro de Liane Moriarty. Nunca antes as produções colocaram tantas mulheres em foco, contando suas próprias histórias e impressões sobre a vida, o universo e tudo o mais. O ano das narrativas sobre mulheres também é o ano das quebradoras de silêncio, quando tantas delas ergueram suas vozes para apontar aqueles que as fizeram calar anteriormente por medo de perderem suas carreiras e até mesmo suas vidas. Ainda que 2017 nos tenha trazido tantas personagens femininas intrigantes e narrativas feitas por elas, em boa parte dos casos isso só foi possível devido a uma estrutura doentia que perdura há anos com base em abusos.

2017 está terminando e o que fica é um sabor agridoce: nos calamos e não fomos ouvidas por muitos anos. Não mais.

Continue Lendo

LITERATURA

Mulheres Perigosas: a representação feminina na literatura

A antologia Mulheres Perigosas, editada por George R. R. Martin e Gardner Dozois e publicada no Brasil pela Editora Leya, é um compilado de vinte e um contos que apresenta personagens femininas escritas pelas perspectivas de diversos autores, entre eles o próprio Martin, além de Diana Galbadon, autora de Outlander, e Megan Lindholm, de a A Saga do Assassino. A ideia por trás do livro é desmontar o estereótipo da personagem feminina vítima e sem personalidade – aquela que existe apenas para dar suporte ao protagonista e herói da trama –, contando histórias com protagonistas que transitam entre a magia, o ciúme, a ambição, a traição e a rebeldia.

Continue Lendo

TV

Outlander – uma mulher estranha num tempo estranho

Histórias com viagens no tempo existem aos montes. A ideia de, por mágica ou alta tecnologia, ir parar num tempo distante, no passado ou no futuro, sempre intrigou o ser humano e é uma das bases da ficção científica até hoje. Temos curiosidade a respeito de outras épocas, mas isso não significa que queiramos, de fato, viajar no tempo. Claire Randall (Caitriona Balfe) não queria. Ela era apenas uma jovem mulher que recém havia saído dos tempos de enfermeira do Exército Britânico durante a Segunda Guerra Mundial e que aproveitava o fim da Guerra para ter uma segunda lua de mel com o marido, Frank Randall (Tobias Menzies). Numa viagem para a Escócia, após a noite de Samhaim, Claire desmaia e, ao acordar, se depara com o mesmo lugar, mas em outro tempo: é a Escócia de 1743, e ser uma mulher solteira e britânica naquele lugar não fazia bem à saúde.

Continue Lendo