CINEMA

Final Girls: subvertendo estereótipos

Filmes de terror, especialmente os do gênero slasher, seguem uma fórmula identificável, com tropos conhecidos: as vítimas sobem escadas em vez de sair pela porta, cenas de sexo inevitavelmente significam que aqueles personagens vão morrer em breve, o assassino é quase indestrutível e sobrevive a qualquer coisa, personagens negros e/ou LGBTQ+ morrem logo no começo da trama, todo mundo é suspeito… E o meu tropo preferido: a final girl, isso é, a sobrevivente. Ela é, via de regra, uma mulher jovem, virgem ou indicada como “pura” pela narrativa, muitas vezes com um nome com gênero neutro ou ambíguo, que investiga o que está acontecendo e, ao final, sobrevive e desmascara e mata o assassino (ou acha que mata, porque outro tropo conhecido de slashers é que o assassino volta, de alguma forma, na continuação).

No entanto, ela é mais interessante quando foge um pouquinho – mas não demais – dos parâmetros do tropo, sendo ainda reconhecida como uma final girl, mas com um toque de subversão. Por isso, segue a lista de cinco final girls que simultaneamente subvertem, definem o gênero e que moram no meu coração. A lista é cheia de spoilers, porque, afinal, eu digo quem sobrevive, quem morre e quem mata nos filmes.

Ellen Ripley, Alien

Ripley não parece uma final girl óbvia porque Alien é um filme de ficção científica, não um terror slasher. No entanto, é um filme de ficção científica que segue muito da fórmula e do ritmo de slashers, colocando o alien do título na posição do assassino. Considerando essa fórmula, Ripley (Sigourney Weaver), apesar de não ser uma adolescente virginal, tem o papel de final girl: chamada pelo seu sobrenome, que não indica seu gênero, é a sobrevivente que investiga os acontecidos e destrói o alien assassino. Nos próximos filmes da série em que ela aparece, no entanto, ela subverte os tropos ao ocupar um papel tradicionalmente dado a personagens masculinos: de final girl, ela passa para heroína de ação.

Erin Harson, Você é o Próximo

A primeira metade de Você é o Próximo [You’re Next, no original] é de um filme slasher clássico: uma família enorme que briga sem parar é atacada por assassinos mascarados em uma casa enorme no meio do nada, sem acesso a telefone ou a vizinhos para pedir ajuda. Os personagens morrem, um a um, de formas criativas, violentas e aparentemente aleatórias. No entanto, no meio do filme, Erin Harson (Sharni Vinson), a personagem que parece estar ali quase por acaso, namorada de um dos membros da família, revela ter sido criada em uma família de preppers (movimento norte-americano de pessoas que acreditam na proximidade do apocalipse e se preparam para sua eventualidade) e não só se salva, como mata todos os assassinos, um a um, com sua própria criatividade violenta.

Dana Polk, O Segredo da Cabana

Escrito por Joss Whedon e Drew Goddard, que já tinham trabalhado muito com subversão do terror nas séries Buffy, a Caça-Vampiros e seu spin-off Angel, O Segredo da Cabana [Cabin in the Woods, no original] é uma paródia na qual um grupo de jovens é levado para uma cabana em uma situação manipulada para que eles morram seguindo os tropos do gênero slasher. A história precisa se desenrolar seguindo a estrutura predeterminada, pois está sendo conduzida por uma agência secreta do governo que precisa de um sacrifício ritual para proteger o mundo de deuses antigos. A final girl determinada, Dana Polk (Kristen Connolly), sobrevive aos eventos narrativos esperados; no entanto, o sempre chapado Marty também sobrevive, indo contra a fórmula e colocando o mundo à beira da destruição. Dana Polk tem a escolha, então, de matar Marty, se consolidando como final girl, para salvar o mundo – no entanto, ela rejeita seu lugar de sobrevivente e heroína: ela e Marty se recusam a seguir a narrativa que é imposta a eles e dividem um baseado esperando o fim do mundo.

Sidney Prescott, Pânico

Sidney Prescott (Neve Campbell) talvez seja a principal final girl dos anos 1990. Ela investiga, sobrevive e mata o assassino em todos os quatro filmes da série Pânico [Scream], inicialmente como uma adolescente, sempre usando seu primeiro nome ambíguo. No entanto, ela não é virginal, subvertendo esse aspecto do tropo no primeiro filme, no qual ela faz sexo com seu namorado, que se revela um dos assassinos, e acaba matando-o no final, em vez do oposto esperado. Outra característica interessante de Sidney é que ela é a vítima principal dos assassinos dos quatro filmes: por motivos variados, todos os assassinos têm a intenção principal de puni-la ou matá-la, especificamente, não por acaso ou simplesmente como parte de um grupo maior.

Emma Duval, Audrey Jensen e Brooke Maddox, Scream

Olha, eu sou fã de Pânico. Inclusive da série da MTV, que se passa em outra cidade e com outros personagens, sem relação narrativa com os filmes. Scream é uma série slasher, mas tem mais sobreviventes do que os filmes – provavelmente por precisar deixar as portas abertas para mais temporadas sem mudar totalmente o elenco –, dentre eles homens. Especialmente, no entanto, entre as sobreviventes temos três garotas adolescentes: Emma Duval (Willa Fitzgerald), Audrey Jensen (Bex Taylor-Klaus) e Brooke Maddox (Carlson Young). Emma segue o molde de Sidney com perfeição: é a vítima principal dos assassinos; faz sexo com o namorado, que se revela o assassino depois; sobrevive a tudo, carregando trauma e dor. Audrey e Brooke, por outro lado, são interessantes por serem sobreviventes improváveis: Audrey é bissexual, ajuda o assassino sob ameaça, e não é de forma alguma a vítima “pura” e “perfeita”; e Brooke é popular, inicialmente esnobe e tem mais de um relacionamento romântico-sexual ao longo da série. Mesmo assim, Audrey e Brooke sobrevivem ao lado de Emma, em uma narrativa de terror que finalmente tem espaço para mais de uma final girl.

Posts Relacionados

3 Comentários

  • Responda
    AnonimO
    11 de novembro de 2017 at 18:54

    Porra, e a Poderosa de Mad Max? Entre outras… vcs precisam estudar mais.

    • Responda
      Valkirias
      12 de novembro de 2017 at 15:30

      O nome da personagem é Imperatriz Furiosa, e não “Poderosa”.
      E a lista não tem a obrigação de ter a personagem ‘x’ ou ‘y’, visto que são as escolhas da autora do texto.

  • Responda
    Ana Beatriz
    11 de novembro de 2017 at 21:46

    Adorei que você citou Scream! Muitas vezes a série é tratada como guilty pleasure, mas tem várias coisas interessantes (e eu nunca tinha reparado no tema das Final Girls). Brooke foi uma das minhas personagens favoritas de Scream!

  • Deixe um Comentário