LITERATURA

Confissões de Uma Adolescente Grávida

Confissões de uma adolescente grávida

“Na hora de fazer foi divertido, agora aguenta.” Quem nunca ouviu essa frase na vida quando se falava sobre uma gravidez não planejada deve viver em outro planeta. Incrivelmente, essa pérola de sabedoria é dirigida 11 a cada 10 vezes para a mulher – o homem é imaturo, irresponsável, é da natureza dele, nós devíamos saber melhor. A sexualidade masculina não somente é natural, como é encorajada. A feminina, não. Confissões de Uma Adolescente Grávida vem, desde a página 1, desmistificar a imagem comumente associada a mulheres que engravidam sem querer antes da idade adulta.

“Acontece que, certo dia, a camisinha estourou. Simples assim. Isso pode acontecer com qualquer um, é verdade, mas o Fabrício (meu namorado) e eu acreditamos que o incidente não teria grandes consequências. Não somos ignorantes, apenas levamos em consideração o fato de que, para uma gravidez acontecer, é preciso um bocado de sorte. Um super-herói em formato de espermatozoide precisa entrar no óvulo atravessando sua membrana, levando 23 cromossomos que, isolados, combinam-se com os outros 23 cromossomos existentes no óvulo, e viram um complemento normal de 46 cromossomos, dispostos em 23 pares. Tudo isso no período fértil da mulher.”

Confissões de Uma Adolescente Grávida, da autora Graciela Paciência, conta a história de Mirella, uma menina de 16 anos, branca e de classe média, que engravida acidentalmente do namorado, de 18 anos. O livro é escrito em primeira pessoa, na forma de diário, e acompanha a menina desde a descoberta da gravidez até o parto, com todos os conflitos, questões, tristezas e alegrias envolvidos no processo.

Desde o início, Mirella, a narradora-personagem, deixa claro que é uma exceção: ela tem acesso a atendimento médico preventivo de qualidade, assim como a informações abundantes sobre sexo seguro e métodos contraceptivos. Ainda assim, por sua falta de experiência e imaturidade (afinal, quanta maturidade nós realmente podemos exigir de uma menina de 16 anos?), as coisas acontecem e ela engravida.

A interrupção da gravidez nunca é cogitada no livro, e desde o começo a menina tem todo o apoio do pai da futura criança e das famílias dos dois. Ou seja, o que temos em Confissões de Uma Adolescente Grávida é um cenário quase ideal e bastante utópico para demonstrar que, ainda assim, a situação enfrentada por Mirella é muito difícil.

Apesar de uma gravidez não estar nos seus planos originais antes dos 28 anos de idade, a protagonista embarca na nova aventura com satisfação. Durante a primeira parte do livro nós vemos uma personagem quase inacreditavelmente otimista e conformada com o curso que sua vida tomou de forma tão inesperada, demonstrando uma ingenuidade enorme. Entretanto, com o passar da narrativa, ela começa a enfrentar as dificuldades inerentes à sua situação e a se dar conta do nível de desafio que irá enfrentar.

A questão principal é que o mundo acredita piamente que tem direito de julgar as mulheres por suas escolhas e por seus erros, sejam eles quais forem. Colegas de escola, professores, pais de amigos e até completos estranhos se veem subitamente autorizados por algum poder divino a julgar e punir alguém que não lhes deve nenhuma satisfação por atos que não tem nenhuma relação com as suas vidas. A maternidade não só é a punição da mulher por ter uma sexualidade, como é ao mesmo tempo um ato criminoso cometido por ela contra o homem, como se os dois não tivessem participado igualmente do ato.

Outro ponto positivo do livro é mostrar que, apesar de todos os acontecimentos, mulheres não perdem sua personalidade nem sua individualidade quando engravidam. A imagem idealizada da maternidade é a de abnegação total e absoluta, a mulher perde completamente o controle e os direitos sobre sua vida e seu corpo e passa a ocupar exclusivamente o papel de mártir, de mãe – o foco agora é única e exclusivamente a criança. Confissões de Uma Adolescente Grávida traz o outro lado da moeda: a vida que segue em frente apesar.

Sim, a vida de Mirela está passando por mudanças enormes e definitivas, mas não está acabando. Ela ainda é a mesma menina estudiosa, responsável, que gosta de cozinhar, ler, assistir filmes e tem sonhos para o futuro. Talvez os planos dela precisem mudar, com certeza ela vai ter que acrescentar novas variáveis à equação, mas Mirela não deixa de ser a pessoa que sempre foi e nem de ter direito à sua própria vida.

O livro é a obra de estreia da autora e voltado para o público adolescente. A escrita é fluída e o livro é curto o suficiente para serem lidos em uma sentada. Apesar disso, senti que a história poderia ter sido mais a aprofundada (coisa que não é incomum em obras em forma de diário), além de achar que as referências a outros livros e filmes frequentemente ficaram soltas e descontextualizadas. Apesar disso, pode ser um ótimo instrumento para tratar do tema com adolescentes e pré-adolescentes de forma a gerar identificação e empatia.

Confissões de uma adolescente grávida

O exemplar foi cedido pela autora para resenha.

Se interessou pelo livro? Compre direto do nosso link associado na Amazon! A cada exemplar vendido nós ganhamos uma comissão e você ajuda o site a crescer sem pagar nada a mais por isso. Clique aqui!

Posts Relacionados

Comentários

Deixe um Comentário