Arquivo Anual

2017

MÚSICA

Mariah, J. Lo, Christina e Britney: em defesa das divas pop “preguiçosas”

Divas pop

“Não leia os comentários” é uma das regras mais conhecidas na internet. Já faz algum tempo que a maioria dos sites optou por desabilitar os comentários ou seus usuários decidiram parar de lê-los. Os poucos sites voltados à cultura pop que têm seus comentários liberados veem suas caixas tomadas por discussões, principalmente em relação às divas pop. Esse termo é usado na internet para falar cantoras, geralmente novas, muito famosas que cantam, basicamente, pop, e que têm um grande número de fãs — que costumam ser bastante protetores com suas preferidas. Tão protetores que sentem necessidade de proteger a artista que tanto amam de diversas formas, inclusive rebaixando suas possíveis concorrentes. Entre os possíveis xingamentos usados para inferiorizar as outras, estão: flopada, sem talento e preguiçosa.

Continue Lendo

TV

(Ainda) Em defesa de Sansa Stark

Game of Thrones já teve mais da metade dos episódios de sua sétima temporada exibidos, mas ainda tem gente questionando o valor de Sansa Stark, interpretada pela atriz Sophie Turner. A série de tv, baseada nas Crônicas de Gelo e Fogo escritas por George R. R. Martin, é mundialmente conhecida por não poupar nenhum de seus personagens de acontecimentos cruéis. Para Sansa, me atrevo a dizer, talvez tenham sido reservados alguns dos piores desses acontecimentos – principalmente quando o assunto é a série dirigida por David Benioff e Dan Weiss.

Continue Lendo

CINEMA LITERATURA TV

Personagens coadjuvantes e a falta da presença feminina nas aventuras

Frequentemente quando lemos um livro, assistimos a um seriado ou nos envolvemos com algum personagem, encontramos uma certa base estrutural comum na história, correto? Tem um protagonista, tem um vilão, tem personagens ao redor dessas pessoas, tem o bem, tem o mal, tem aquele que a gente torce até o fim e aquele que a gente sente prazer em odiar. Essas categorias são comuns em um tipo de narrativa que chamamos de jornada do herói, um jeito de contar histórias bem clássico no qual um indivíduo sai em busca de algo que pode mudar a sua vida e, obviamente, encontra obstáculos, mas depois os enfrenta bravamente.

Continue Lendo

LITERATURA

Fazendo castelos: cadernos de uma menina provinciana

Guimarães Rosa acreditava na importância de se ouvir conversas: “Ouvir a vida para poder transmiti-la. Se a gente lê muito, em demasia, acaba contando coisas que todo mundo já sabe. É preciso dar coisas novas, há milhares de coisas novas para dar. É descobri-las”. Talvez seja por isso que o escritor mineiro tenha ficado encantado ao ler Minha Vida de Menina, de sua conterrânea Helena Morley.

Continue Lendo

TV

Outlander – uma mulher estranha num tempo estranho

Histórias com viagens no tempo existem aos montes. A ideia de, por mágica ou alta tecnologia, ir parar num tempo distante, no passado ou no futuro, sempre intrigou o ser humano e é uma das bases da ficção científica até hoje. Temos curiosidade a respeito de outras épocas, mas isso não significa que queiramos, de fato, viajar no tempo. Claire Randall (Caitriona Balfe) não queria. Ela era apenas uma jovem mulher que recém havia saído dos tempos de enfermeira do Exército Britânico durante a Segunda Guerra Mundial e que aproveitava o fim da Guerra para ter uma segunda lua de mel com o marido, Frank Randall (Tobias Menzies). Numa viagem para a Escócia, após a noite de Samhaim, Claire desmaia e, ao acordar, se depara com o mesmo lugar, mas em outro tempo: é a Escócia de 1743, e ser uma mulher solteira e britânica naquele lugar não fazia bem à saúde.

Continue Lendo

LITERATURA

O que Nora Roberts tem a nos ensinar

Talvez você já tenha visto, ao visitar uma livraria, alguns livros de J. D. Robb. Esse é um dos pseudônimos da escritora Eleanor Marie Robertson, mais conhecida por Nora Roberts e sucesso literário. Ela foi a primeira autora a figurar no Hall da Fama do Romance Writers of America, ganhou vários prêmios da mesma instituição e da Fundação Quills, até o momento já escreveu mais de 200 livros e vendeu mais de 400 milhões de cópias. Combinados, seus volumes passaram mais de 176 semanas no primeiro lugar da lista de mais vendidos do New York Times.

Continue Lendo