Arquivo Anual

2017

TV

The Good Wife – Pelo direito de recomeçar

Alicia Florrick (Julianna Margulies) é a “boa esposa” que dá título à série finalizada em 2016 após sete temporadas de sucesso. O último episódio foi ao ar na televisão estadunidense em maio do ano passado, mas todas as temporadas estão disponíveis na Netflix. Em uma conversa recente, tentando defender o fechamento do seriado com uma amiga, percebi que, de fato, para os padrões de uma série dramática do prime time, The Good Wife era desviante. A protagonista é uma mulher branca de classe alta, heterossexual e casada, ou seja, privilegiada e dentro da norma. O desvio, entretanto, não está aí. Está nas escolhas narrativas feitas durante as sete temporadas.

Continue Lendo

LITERATURA

Relatos de Um Gato Viajante – amizade além das fronteiras

Algumas histórias ficam com a gente para sempre – e esse certamente é o caso de Relatos de Um Gato Viajante, da autora japonesa Hiro Arikawa. Publicado no Brasil pelo selo Alfaguara da Companhia das Letras, o livro conta a história de Nana, um gato que está viajando pelo Japão em companhia de Satoru, seu inesperado e devotado dono. Com ares de fábula e um enredo cativante, Relatos de Um Gato Viajante surpreende pela trama delicada e a narrativa ágil de Arikawa, que consegue mesclar momentos de emoção pura com piadas divertidas.

Continue Lendo

CINEMA

O Sorriso de Monalisa: papéis tradicionais, arte e subversão

O Sorriso de Monalisa

De maneira despretensiosa, a trama de O Sorriso de Monalisa é introduzida com o barulho das teclas de uma máquina de escrever e uma voz feminina narrando a breve passagem da professora de arte Katherine Watson (Julia Roberts) pela Wellesley, uma faculdade de prestígio para mulheres que promete formar as mentes mais brilhantes do país, no outono de 1953. A cena mostra a professora num trem vindo da Califórnia, onde ela lecionava a mesma matéria para calouros na Oakland State, e logo no princípio foi enfatizado que a escolha por Wellesley fora sua, apesar de todas as dificuldades enfrentadas para fazer parte do corpo docente de uma faculdade tão contrastante em nível social, e também tão conservadora.

Continue Lendo

LITERATURA

O Infinito no Meio: reclusa na própria memória

Nós não aprendemos a lidar com a perda. É uma das questões que só conseguimos enfrentar com o passar do tempo, que acabam trazendo novas vivências, ensinamentos e, principalmente, maturidade. Mas e se o tempo parasse em um momento de extrema dificuldade e vulnerabilidade?  E se fôssemos reféns de um único espaço onde ele não corresse e tivéssemos que observar todo mundo a nossa volta viver e permanecêssemos no mesmo espaço físico e temporal? Essa é a história de Cecília, a protagonista de O Infinito no Meio, novo livro de Priscilla Matsumoto, autora de Ball Jointed Alice.

Continue Lendo

LITERATURA

8 livros infantis para ler mulheres desde sempre

Nunca é cedo demais para começar a ler mulheres – seja por conta própria ou ouvindo alguém ler. Quando falamos de livros infantis, é fácil lembrar dos contos de fada clássicos, com suas princesas constantemente salvas por príncipes encantados. Até na literatura brasileira pensamos rápido nos homens: Monteiro Lobato, Ziraldo e Maurício de Souza logo vem à cabeça. Mas a literatura infantil está cheia de escritoras incríveis, conhecidas e premiadas, para todas as idades.

Continue Lendo

TV

The L Word e a Representação Lésbica na Televisão

Quando falamos em lésbicas na televisão qual sua primeira referência? Acredito que vocês, assim como eu, pensam em Orange Is The New Black, Cosima e Delphine em Orphan Black, Callie e Arizona em Grey’s Anatomy. E quando citamos uma série voltada para o mundo lésbico? Não existiu um seriado tão influente, conhecido e amado como The L Word na televisão. A série, que está em projetos iniciais para um reboot nos próximos anos, foi criada por Ilene Chaiken – ficou no ar de 2004 a 2009 no canal Showtime – e contava a história de um grupo de lésbicas residentes de Los Angeles. A descoberta da sexualidade, a aceitação, relacionamentos e as consequências que gostar do mesmo sexo podem trazer para a vida de uma pessoa, tudo isso fazia parte do enredo da série. Beth (Jennifer Beals), Tina Kennard (Laurel Holloman), Alice Pieszecki (Leisha Hailey), Jenny Schecter (Mia Kirshner), Shane McCutcheon (Katherine Moennig), Dana Fairbanks (Erin Daniels), são o pilar da trama e é pela vida de cada uma delas que seremos apresentadas ao mundo lésbico na maior cidade californiana.

Continue Lendo